Início

Os títulos jornalísticos no contexto hipertextual

1 Comentário

O Prof. Ramón Salaverría, da Universidade de Navarra (Espanha), em um texto básico sobre redação ciberjornalística, discute as funções e características dos títulos no ambiente das redes e discorre sobre como utilizar bem este elemento chave do texto jornalístico.

Salaverría identifica três funções do título nos meios tradicionais e agrega uma função para a situação on-line:

a) Função identificativa- O título deve individualizar um texto jornalístico frente a outros.

b) Função informativa – O título deve fazer uma síntese do conteúdo do texto jornalístico que encabeça.

c) Função apelativa – O título deve suscitar o interesse e, junto com os eventuais elementos gráficos que possam acompanhar o texto, cumprir uma função de primeira linkagem para o olho do leitor.

Aplicação:
Você deve examinar três produtos jornalísticos na web, buscando identificar os tipos de títulos nas suas primeiras páginas. Após a observação, realize a tarefa a seguir:

Os produtos são:
– JB Online (http://jbonline.terra.com.br/)
– Portal Terra (http://www.terra.com.br/capa/)
–  Estadão (http://politica.estadao.com.br/ )

Exercício

a ) A partir dos lides abaixo, crie títulos para cada notícia a ser publicada na web, na primeira página, considerando as funções apontadas por Salaverría:

1- “A segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa de rebanhos bovinos e de búfalos começou este mês, em seis estados brasileiros, Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Roraima. No mês que vem, a imunização será estendida a outras 16 unidades federa- tivas: Acre, Amapá, Amazonas, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Gros- so do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Piauí, Rondônia, São Paulo, Sergipe, Tocantins e o Distrito Federal”.

2- “A ONG ambientalista WWF-Brasil realizou, na manhã deste domingo, um ato no Cristo Redentor, em defesa dos mananciais, das florestas e da promoção do acesso à água potável para brasileiros hoje excluídos desse direito universal. Uma torneira jogando água num balde inflável de quase 15 metros de altura foi montada aos pés da estátua do Cristo Redentor, um dos símbolos turísticos do país, para chamar a atenção da sociedade e dos governantes”.

3- “O presidente Hugo Chávez advertiu hoje , falando em seu programa semanal “Alô, Presidente”, que se a ameaça que pesa sobre sua vida se concretizar, isso acelerará a revolução bolivariana. “Um povo e uma força armada (venezuelanos) mostrarão ao mundo do que são capazes”, afirmou”.

4- “Entra em operação hoje um novo serviço dos Correios: a transcrição gratuita de correspondências do Braille para a escrita comum e vice-versa. Com o serviço, deficientes visuais de todo o país poderão enviar e receber suas correspondências na linguagem desenvolvida especialmente para elas – o código Braille.

A assessoria de imprensa da ECT informou que, durante a cerimônia, o defici- ente visual Mário Alves de Oliveira, criador do sistema, fará a leitura de uma carta endereçada a Hélio Costa, ministro das Comunicações”.

5- “De 8 a 10 de junho, o Rio de Janeiro vai sediar a Conferência Regional Ministerial da América Latina e Caribe, um encontro preparatório para a segunda fase da Cúpula Mundial da Sociedade da Informação. Além do Brasil, mais 32 países participam do evento”.

6- “O britânico Robert William Milne, de 49 anos, um veterano alpinista,morreu tentando alcançar o topo do monte Everest, o mais alto do mundo. A informação foi dada hoje pelo Governo nepalês e um site especializado em alpinismo. O corpo ainda não foi recuperado”.

7 – O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ministro Ricardo Lewandowski, afirmou, ontem, que é favorável à realização do plebiscito sobre a proibição do comércio de armas e munições, e adiantou que votaria “sim”, ou seja, pela proibição. O ministro, no entanto, prefere que a consulta popular seja marcada para 15 de novembro, a fim de que o TSE tenha mais tempo para tomar todas as providências necessárias.

8 – A cantora e atriz americana Jennifer Lopez foi escolhida “a mulher mais bonita do mundo em 2011” pela revista People, em seu tradicional ranking anual que será divulgado na sexta-feira. “Sinto-me muito honrada”, declarou a artista americana de origem porto-riquenha, de 41 anos, mãe de dois gêmeos com seu marido, o cantor Marc Anthony.

9 – A semana não tem sido fácil para o meia Paulo Henrique Ganso. Sem um acordo para a sua renovação contratual com o Santos, e com o seu nome ligado a uma possível transferência para o Corinthians, o camisa 10 ainda tem a responsabilidade de liderar a equipe – sem Neymar, Elano e Zé Eduardo suspensos – no jogo contra o Cerro Porteño, nesta quinta-feira, no Estádio Olla Azulgrana. Por isso, o técnico Muricy Ramalho tem procurado amenizar a pressão sobre o maestro santista.

10 – A Justiça determinou que a Caixa Econômica Federal (CEF) abra conta poupança para moradores de rua. Isto não era uma opção, pois a instituição pedia comprovante de residência para ceder esse tipo de vínculo. A decisão, em caráter liminar, foi assinada pelo juiz federal substituto Danilo Almasi Vieira Santos.

11 – Dados apresentados nesta quinta-feira (14) pelo Banco Mundial apontam que novos aumentos nos preços globais dos alimentos podem colocar milhões de pessoas em situação de pobreza extrema. De acordo com o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, os preços dos alimentos já estão 36% mais altos que há um ano e um novo aumento de 10% colocaria mais 10 milhões de pessoas em situação de pobreza extrema (renda menor que US$ 1,25 por dia). Quando a projeção é de alta de 30% nos preços dos alimentos, o número de pessoas afetadas passaria a 34 milhões.

12 – Com o início da safra 2011/12 de cana-de-açúcar a expectativa para os próximos dias é a de que os preçosdo álcool e o da gasolina diminuam após um ritmo de crescimento intenso desde o fim do ano passado. Hoje (14), em Brasília, alguns postos de combustível já começaram a repassar a redução para os consumidores. Em Brasília, o valor do álcool passou de R$ 2,79 para R$ 2,59, uma redução de 8%. Já na gasolina, a redução foi apenas de 3 centavos. Passou de R$ 2,94 para R$ 2,91.

10 usos do Twitter para os jornalistas

1 Comentário

1. Fonte de Informação: Twitter pode ser comparado a uma leitura de mídia digital em que o conteúdo foi selecionado por editores a quem se segue e respeita. Os links são twittados, retwittados até ter vamos dizer assim um selo de garantia, uma fonte segura.

2. Inspiração para reportagens: O que está sendo discutido no Twitter? Quais são os temas “tendências” do momento? Na twittosfera você pode ficar por dentro das ultimas tendências que podem ser aprofundadas e investigadas.

3. Twittervistas: Twitter permite entrevistas de uma forma não invasiva. Uma pessoa é entrevistada quase sem se dar conta. As vantagens são: perguntas e respostas curtas, acessibilidade e assíncrona (uma entrevista pode durar várias horas sem interromper as atividades do entrevistado).

4. Verificação das informações: Através do Twitter você pode pedir que seus entrevistados a exatidão da informação ou contrastar informação. A twittosfera é uma massa de conhecimento agregado.

5. Notícias Urgente (breaking news): A rapidez do Twitter faz um dos melhores meios de alerta de notícias que estão acontecendo no momento, em que a fonte original muitas vezes não é uma mídia, mas um local banal.

6. Fontes Rapidas: Você também pode recorrer ao Twitter para reunir informações que talvez se você fosse procurar levaria muito tempo. Por exemplo, você pode pedir a seus seguidores o que eles pensam sobre alguma medida do governo, e usar estas reações para escrever um relatório sobre o que as pessoas pensam sobre as ações. Twitter é a coisa mais próxima de fazer jornalismo na rua, sem sair.

7. Medir o interesse de um assunto: Se você pretende escrever sobre um assunto e você não tem certeza se vai interessar as pessoas, twitte e observe a reação.

8. Promoção: Twitter é uma grande ferramenta para promover o seu trabalho jornalístico, através da publicação de links para seu trabalho. Se você tiver sorte, através retweets pode ser alcançado em uma disseminação viral. Aproveitando o tópico promoção, participe e concorra a Um livro de Marketing Digital.

9. Nos Bastidores: Através do Twitter você pode manter os outros membros informados sobre como desenvolver o seu trabalho jornalístico, desde que você conceba uma idéia, a pesquisa, entrevistas … O trabalho sujo no final sempre fica em segundo plano, mas é fundamental para o bom jornalismo. Isto é o fazer do jornalismo. Enquanto essa transparência pode mostrar surpresas negativas, como alguém te plagiar, na maioria dos casos será benéfico porque vai proporcionar os comentários das pessoas na rua, ou mesmo o surgimento de novas fontes que talvez outra forma nunca teria uma discussão em tão pouco tempo.

10. Humor gráfico: Comentários lacônico, sarcástico, irônico, cínico das pessoas nos tópicos no Twitter é uma valiosa fonte de inspiração para aqueles que fazem humor. Eu gostei deste exemplo. A notícia da descoberta de água na Lua pela NASA, um tweeter venezuelano respondeu: “Essa foi a parte mais fácil, o difícil é encontrar em Caracas. NASA siga adiante ainda há muito a ser feito.

Fonte: Algumas informações baseadas no artigo 10 usos periodísticos de Twitter

O Twitter e o “jornalismo boca a boca”

Deixe um comentário

por Carlos Castilho

O recente terremoto na Nova Zelândia acrescentou mais um elemento à já longa lista de polêmicas envolvendo o sistema de micromensagens Twitter. O tremor, de 7,2 graus na escala Richter, foi só um décimo de grau menos intenso do que o do Haiti, e o jornalistas europeus que tentaram obter notícias surfando pelo Twitter de neozalendeses saíram frustrados da experiência.

Eles constataram que a maioria das mensagens envolvia notícias familiares e que o grosso das informações sobre a situação geral vinha de fora do país. Isto reforçou a crítica de que os Twitters não são uma ferramenta relevante para os profissionais do jornalismo, confirmando uma experiência feita no início do ano por um grupo de cinco repórteres de uma rádio francesa, que se isolou numa fazenda e só tinha acesso ao mundo por meio de mensagens postadas por pessoas comuns.

A polêmica em torno da utilidade jornalística do Twitter ainda vai durar muito tempo porque se trata de uma questão complexa cujo debate não pode ser resumido às opções usar ou não usar. É um fato inquestionável que a esmagadora maioria das mensagens que circulam no Twitter têm a ver com questões pessoais e familiares, porque a ferramenta ampliou a sensação de proximidade entre os usuários.

As notícias que circulam na rede são em sua maioria repassadas por usuários para amigos, no recurso chamado Retweet (RT), por meio do qual a informação é transmitida de pessoa em pessoa. Este fator humano na circulação das notícias provoca um fenômeno curioso. A quantidade de acessos que uma notícia recebe em sua versão original na Web depende do número de vezes que ela é repassada por usuários do Twitter.

Os twiteiros usam este recurso como uma forma de criar comunidades em torno de temas de interesse localizado e específico. Outro componente importante neste comportamento é a transferência de credibilidade, ou seja, se uma pessoa de minha confiança recomenda uma informação, esta passa também a ser confiável. Parece pouca coisa, mas num ambiente de avalancha informativa, a recomendação de amigos passa a ser fundamental.

Tudo isto indica que, no Twitter, a notícia jornalística passa a ser tratada de uma forma distinta da forma convencional, em que a impersonalidade é um componente essencial. Claro que você pode consultar os twits dos veículos jornalísticos convencionais, mas não são eles os que detêm os maiores índices de “seguimento” —a opção de seguir um usuário para obter todas as atualizações mais recentes de sua página.

Em termos informativos, o Twitter estaria mais próximo do sistema boca a boca do que de uma página de jornal ou noticiário na TV. E é assim que o sistema deve ser visto, porque não segue a lógica do jornalismo profissional. A circulação de notícias no Twitter é desorganizada, descentralizada, horizontal e quase caótica.

Os padrões de credibilidade também não são os mesmos da imprensa mas nem por isso o Twitter deve ser descartado como fonte noticiosa. O caos do Twitter permite uma diversificação de enfoques sobre um mesmo fato, dado ou processo, viabilizando uma contextualização mais completa da notícia — coisa bem mais difícil na imprensa pré-internet.

O Twitter também faz uma ligação direta entre produtores de notícias, como é o caso das páginas de jogadores e alguns clubes de futebol e o público. Jornalistas e pessoas comuns usam a mesma fonte, mas a notícia circulada de boca em boca vai mais rápido e mais longe do que a veiculada pela página web do jornal.

A popularização do Twitter criou um problema adicional para as redações. Não basta publicar a notícia. Ela precisa ser recomendada — e isto incorpora um novo agente no processo de circulação de uma informação. A recomendação de uma notícia escapa ao controle dos profissionais do jornalismo e os obriga a olhar um pouco além da porta das redações.

As observações feitas a propósito do terremoto neozelandês mostram que a notícia pelo Twitter não está associada apenas ao seu valor informativo, mas também a um conteudo emocional. A veiculação de notícias para os desabrigados pelo temor valeu mais pela sensação de solidariedade do que pela carga informativa. Estranhos se tornaram íntimos no meio da tragédia, gerando comunidades informativas instantâneas.

A notícia viral, jargão criado pelos estudiosos do fenômeno Twitter, passa a ser o produto informativo criado pelas recomendações sucessivas. Neste processo, a teoria do “quem conta um conto aumenta um ponto” só é parcialmente válida, já que na retwitagem quase sempre é a versão original que é passada adiante. Mas isto não elimina o risco de distorções.

Fonte: Observatório da Imprensa