A Faculdade Cearense recebeu na noite de ontem, 08, no auditório do campus II, o editor do Portal Online do Diário do Nordeste, Diego Borges que falou sobre os desafios do jornalismo online.

Na ocasião, Borges enfatizou em sua apresentação, itens primordiais dentro do universo do jornalismo online, como por exemplo, a convergência, a objetividade no texto, apuração jornalística, estar bem informado, rua, tecnologia, experiência, relação com outras mídias e por fim, jornalismo colaborativo.

O profissional disse que a convergência dentro do jornalismo online é no sentido de que a internet é uma única plataforma para a realização e inserção de diversos trabalhos, práticas que até pouco tempo não se via no campo da comunicação. Hoje, por exemplo, é possível notarmos a presença de galerias, rádio, tv web e até a versão impressa para a versão online, tudo isso em um site.

Diego ressaltou que o texto jornalístico deve ser escrito de forma clara e objetiva, já que ele está sendo feito para o leitor e falou também da importância da leitura. “Ler e reler, para não errar”, disse. No quesito apuração jornalística, Diego explica que diferente do jornalismo impresso, o online tem um desafio maior, que é a de ouvir os dois lados (não que o impresso não ouça), que muitas vezes por ser uma mídia instantânea a notícia quente deve sair quase que em tempo real.

Diego Borges Editor do Portal Diário do Nordeste

Diego Borges Editor do Portal Diário do Nordeste

O estudante de jornalismo Wescley Gomes, quando se trata da apuração ,muitas vezes a matéria fica a desejando ou então quando apresenta incoerência e erros de apuração. “A velocidade em que se produz um texto para ser o primeiro a divulgar e dar o furo na notícia pode comprometer conteúdo, quando não apurada e verificada da maneira como deve ser”, disse o estudante algo indagar sobre as desvantagens do jornalismo elaborado via web.

Para Lígia Xavier há uma razão simples para que isso aconteça: “isso se justifica pelo fato da concorrência entre os portais, quem será o primeiro a informar, ou seja, quanto mais rápido for informado à notícia, maior credibilidade e fidelidade dos internautas o meio irá ter”, disse a estudante que cursa o 6º semestre de jornalismo na Faculdade Cearense.

Qualificação do profissional

Quanto as aptidões ao novo profissional, Diego ressalta a importância de o jornalista estar bem informado, e não se prender somente na pauta específica, para o profissional não ser pego de surpresa quando a fonte, por exemplo, tratar de questões que rodeia o assunto principal. Ele lembra também que o jornalista não é só internet, o “repórter se faz na rua”, porque uma vez que ele conta com todo o suporte tecnológico, o profissional deve “se virar” para ainda escrever seu material jornalístico. “Tudo e ao mesmo tempo, agora!”, disse ele.

Por fim, Diego Borges falou da experiência que o comunicólogo deve ter em todos os campos, seja em manusear uma filmadora, escrever bem, saber enquadrar e compor uma imagem e enfatiza a questão do jornalismo colaborativo em que os internautas não se tornam apenas um receptor, ele é também produtor de conteúdo jornalístico ajudando na construção de um portal interativo e participativo.

Anúncios