Início

Malásia informa que voo do Boeing 777 caiu no Oceano Índico

Deixe um comentário

malaysia-airlines-bo_541

Segundo o primeiro-ministro malaio Najib Razak, dados de satélite confirmam queda do avião no Oceano Índico. Crédito: Reuters

O Premiê Malaio, Najib Razak, anunciou hoje, 24, às11h, em uma entrevista coletiva o que de fato aconteceu com o voo MH370. “Com muita tristeza eu informo que o avião está no fundo do Oceano Índico”, afirma Najib Razak.

O avião estava desaparecido desde 8 de março e o que se tinha notícias era suspeitas do poderia ter ocorrido. Mas, com a confirmação do primeiro-ministro da Malásia é confirmado à morte de todos a bordo, no total de 239 pessoas.

De acordo com especialistas de aviação, o Boeing 777 é considerado um dos aviões mais seguros do mundo.

No domingo, as autoridades australianas haviam afirmado que um dos aviões envolvidos nas buscas do Boeing havia localizado um fragmento de madeira, correias e outros destroços no Índico. Ontem, outro avião australiano avistado dois objetos flutuando no. Um navio seguiu para recuperá-los.

 

Fonte: O Globo, Revista Veja, O Povo

Tinga é vítima de racismo em jogo no Peru

Deixe um comentário

Tinga-Treino-Cruzeiro-Washington-AlvesVIPCOMM_LANIMA20130124_0180_52

Tinga foi alvo de manifestações racistas (Foto: Washington Alves/VIPCOMM)

O volante Tinga, do Cruzeiro, foi alvo de insultos racistas durante o confronto com o Real Garcilaso, do Peru. A partida aconteceu no dia 12.02, pela primeira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América. O camisa 7 entrou no segundo tempo da derrota por 2 a 1 do Cruzeiro e sempre que o brasileiro tocava na bola os torcedores da equipe peruana imitavam o som emitido pelos macacos.

“Fico muito chateado. Joguei quatro anos na Alemanha e nunca passei por isso. Agora acontece em um país parecido com o nosso, cheio de mistura. Trocaria um título pela igualdade entre raças e classes e respeito”, lamentou Tinga, à Rádio Globo.

O jogador ainda relatou que demorou a identificar que o que estava ocorrendo na arquibancada do Estádio Huancayo era uma manifestação racista.  “No começo, achei que era por ser a Libertadores. Depois vi que era racismo”, completou.

Aos 36 anos, o jogador cruzeirense ressaltou que a atitude da torcida do Real Garcilaso foi algo inédito em suas participações na Copa Libertadores. “Confesso que fiquei surpreso. Já é minha oitava Libertadores e nunca tinha acontecido isso. Fico bem chateado”, lamentou, em entrevista à Rádio Itatiaia.

Os sons racistas não aconteceram com outros jogadores negros do Cruzeiro. Durante a partida, a equipe não reagiu, mas os companheiros, o treinador Marcelo Oliveira e o diretor Alexandre Mattos demonstraram revolta com a atitude da torcida adversária.

“Eu queria, se pudesse não ganhar nada e ganhar este título contra o preconceito, eu trocaria todos os meus títulos por uma igualdade em todas as áreas, em todas as classes”, acrescentou o volante cruzeirense.

1659104656

IMAGEM: Site oficial da CBF

CBF repudia atitude racista

O presidente da CBF, José Maria Marin, em nome de todos os desportistas brasileiros, manifestou sua solidariedade ao jogador Tinga e aos dirigentes do Cruzeiro pelo lamentável episódio ocorrido.

“Não só como presidente da CBF, mas, sobretudo como amante do futebol, tenho o dever de repudiar essa prática absurda de racismo que continua acontecendo nos estádios. O futebol é símbolo de congraçamento, de alegria e não de demonstrações de preconceito e intolerância”, afirmou Marin.

Tinga não é o primeiro jogador brasileiro a sofrer preconceito nos gramados. Neymar, Marcelo, Diego Maurício, Roberto Carlos, Hulk e outros já foram também alvo dessa prática que fere as mais elementares normas de civilidade.

1919065797

FOTO: Site oficial da CBF

Confira a nota de repúdio na íntegra aqui.

FONTES: Lance! Net, Super Esportes e CBF.

Facebook anuncia compra bilionária do aplicativo WhatsApp

Deixe um comentário

ImagemO Facebook anunciou nesta quarta-feira (19), a compra do aplicativo WhatsApp por US$ 16 bilhões. O valor é o mais alto já pago por um aplicativo para smartphones desde que a própria rede social comprou o Instagram. Também é a maior aquisição do site de Mark Zuckerberg. A compra inclui 12 bilhões de dólares em ações do Facebook e 4 bilhões de dólares em dinheiro.

O WhatsApp é um dos mais populares apps de troca de mensagens entre smartphones do mundo, com cerca de 450 milhões de usuários mensais ativos, feito exaltado pelo Facebook no anúncio da compra. “O WhatsApp está a caminho de conectar 1 bilhão de pessoas”, disse Zuckerberg, fundador do Facebook e chefe executivo da companhia. O serviço de mensagens ganha, a cada dia, 1 milhão de novos usuários, e o volume de mensagens trocadas por ele já se aproxima o volume global de SMS, diz o anúncio.

O grupo prevê também oferecer 3 bilhões de dólares em ações para os fundadores e funcionários do WhatsApp em um período de quatro anos após o fechamento da operação. O acordo potencializará assim o número de usuários da maior rede social do mundo ao se somar aos 450 milhões de usuários de WhatsApp, que operará de forma independente com sua própria junta diretora.Imagem

“O WhatsApp construiu um serviço de mensagem em tempo real que tem uma posição líder e que cresce rapidamente. O WhatsApp está no caminho de conectar bilhões de pessoas no mundo. Os serviços que conquistam essa meta contam com um incrível valor”, afirmou Zuckerberg.

Fonte 1: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/tecnologia/2014/02/19/interna_tecnologia,413737/facebook-compra-servico-de-mensagens-instantaneas-whatsapp-por-us-16-bil.shtml

Fonte 2:  http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2014/02/facebook-compra-o-aplicativo-whatsapp-por-us-16-bilhoes.html

Fonte 3: http://gizmodo.uol.com.br/facebook-compra-whatsapp-por-us-16-bilhoes/

O jornalismo online através da visão de Polyana Ferrari

Deixe um comentário

Imagem

Jornalista Pollyana Ferrari

A jornalista e professora, Pollyana Ferrari em um vídeo postado no Youtube fala sobre o papel do jornalista em meio a uma infinidade de perfis nas redes sócias. E dar dicas para os novos usuários das redes sociais.

”O jornalista tem que observar o áudio, a infográfica, o texto, como ele vai chamar isso no twitter, replicar no facebook. Ele tem que ver que esses são meios dinâmicos e de troca, percebendo com cautela onde seu conteúdo está gerando mais audiência. A gente tem mudar com a sociedade”, afirmou.

Além disso, para Pollyana o comunicador não pode ter medo do novo, de mapear, de experimentar novas ferramentas. Muitas vezes desistem antes mesmo de tentar usar a rede. Todas as ferramentas devem ser usadas como portfólio para o jornalista, com isso, o mesmo aproveita a rede para fazer sua marca.

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=jyyou1ziafY

Três gerações do jornalismo na internet

Deixe um comentário

Três gerações do jornalismo na internet