A banda, tocou ao  lado  do Rap Emicida levando os fãs ao delírio, principalmente na comparação da maconha com o mensalão.

 

Encontro do Skank com o Rapp Emicida no Rock In Rio

Encontro do Skank com o Rapp Emicida no Rock In Rio

O Palco mundo  ficou pequeno para  Samuel Rosa e seu Skank, mesmo não apresentando um show, com canções inéditas, novos arranjos e  uma  releitura dos  sucessos, como: Garota Nacional, Jack Tequila e Resposta, levaram  os  fãs ao delírio. A  apresentação  da manda começou pontualmente as 18h30 com  o líder da banda, a todo estante enaltecendo o evento e a importância dele para  o Skank .“ Mesmo com  tantos anos  de estrada, tocar aqui  é como ligar nossa frequência ao  máximo”.

Na abertura da apresentação, Samuel chamou ao palco mundo o Rapper Emicida e juntos cantaram a musica “Presença” que gravou com  a banda em 2012.  Em meio a apresentação num momento mais romântico do Show, é a vez da segunda participação Nando Reis,  dividi o palco com  Samuel  Rosa em dueto com a  musica “Resposta” arrancando  aplausos e  pedido de bis.

O Show seguiu, e a cada  canção o público  aumentava a pressão com canções consagradas  da Banda, Mas a musica  cover do sucesso  de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, “ É Proibido Fumar deu o ponto alto da  apresentação  da  Banda.  Samuel contagiado pela  a gritaria dos fãs ao  termino de cada repetição do refrão da canção, gritavam  a palavra “Maconha”  causando reflexões  no  vocalista que associou a proibição  da droga, ao fato  dos políticos cometerem crimes inconstitucionais sem punição severas, logo se viu um gritos e aplausos para o líder do Skank que  respondeu  ao publico com solos  produzidos  pela sua guitarra ele encerrou  o show  agradecendo a todos pela  presença  no  evento.

Obs: Essa matéria é fictícia, trabalho  acadêmico da cadeira de Jornalismo On line, Faculdade cearense

Anúncios