Adaptado para as telas em 1974, na forma de um musical com Bob Fosse e Gene Wilder no elenco, o conto clássico de Antoine de Saint-Exupéry chega novamente aos cinemas, desta vez em forma de animação. O Pequeno Príncipe (2015), produção franco-americana, de Mark Osborne (Kung Fu Panda), tenta misturar a obra clássica com uma história sobre regras e o fim da infância.

 

No longa, uma menina controlada pela mãe solteira precisa, a qualquer custo, entrar para uma prestigiosa escola na França. Mas sua vida cheia de prazos e responsabilidades logo é virada de cabeça para baixo assim que vê uma hélice perfurar a parede de casa. O acidente é causado pelo vizinho, um velho excêntrico e de espírito livre que sacode a forma de viver da garota.

 

À medida em que a amizade entre os dois floresce, é introduzida a história do Pequeno Príncipe como plano de fundo, trazendo pequenas analogias para o cotidiano da garota. O enredo do livro é introduzido através de flashbacks, que, infelizmente, prejudicam o desenvolvimento de ambas as narrativas.

Anúncios