18/09/2015 20h49 – Atualizado em 19/09/2015 

Festa do Rock in Rio reúne gerações do rock e ‘penetras’ bem recebidos

Show de 30 anos teve de Erasmo a Sepultura junto a Ivete e Ivan Lins.
Erasmo desabafou 30 anos após vaia, Ney rebolou e passarela funcionou.

Rodrigo OrtegaDo G1 Rio

GIF - Ney Matogrosso rebola no show de abertura do palco Mundo, celebrando os 30 anos do Rock in Rio (Foto: Fábio Tito/G1)Ney Matogrosso rebola no show de abertura do palco Mundo, celebrando os 30 anos do Rock in Rio (Foto: Fábio Tito/G1)

Uma hora, Andreas Kisser faz a mãozinha do metal enquanto toca “Você não soube me amar” com o Blitz. Cinco minutos depois, Ivete Sangalo canta “Tempo de alegria” ovacionada por fãs de Queen na grade. Antes, Evandro Mesquita e George Israel travaram duelo de solos de saxofone e gaita, e Ney Matogrosso rebolou com sua tradicional calça apertada.

VEJA FOTOS DO SHOW

Assim, com uma farofa de meio mundo do rock brasileiro, e ainda “penetras” de outros estilos bem recebidos – Ivete Sangalo no axé e Ivan Lins na MPB -, o Rock in Rio comemorou 30 anos no show de abertura do Palco Mundo de 2015.

Todos os convidados já passaram pelo Rock in Rio em outras edições. O objetivo era repetir momentos memoráveis, especialmente de 1985, como “Pro dia nascer feliz”, do Barão Vermelho, que abriu o show desta sexta (18), e “Óculos”, dos Paralamas. As performances passam muito longe do clima de surpresa daquela primeira edição, mas o ânimo do público garante a festa.

Skank, Dinho Ouro-Preto, Ney Matogrosso, Erasmo Carlos, Titãs, Ivan Lins e Jota Quest também passaram pelo palco. Muitos ainda “desfilaram” pela nova passarela à frente do palco do festival, que funcionou para aproximar os fãs dos músicos.

‘Desforra de Erasmo’
Já que o show lembrava a estreia do festival, Erasmo Carlos pareceu surpreso com a receptividade do público, comparada à hostilidade que o fez ser vaiado há 30 anos. “Era esse Rock in Rio que eu queria ter visto e sonhado em 85”, desabafou o cantor após o coro em “É proibido fumar”. Ele foi apresentado por Samuel Rosa como “inventor do rock brasileiro”.

Dinho Ouro-Preto foi o produtor artístico do show e também cantou em um dos momentos mais animados, “À sua maneira”, do seu Capital Inicial. Descansado e ávido por hits, o público explode a cada “O amooor é o caloor que aquece a alma”, pelo Jota Quest ou “Vou deixaaar a vida me levaaar”, do Skank.

Anúncios