Samuel Rosa vocalista do Skank - Rock in Rio

Samuel Rosa vocalista do Skank – Rock in Rio

O grupo musical Skank fez uma apresentação memorável no Palco Mundo do Rock in Rio no sábado 21. O show durou pouco mais de uma hora tendo início as 18h30. O que tornou o espetáculo diferenciado e especial foi às participações de Nando Reis e Emicida e um formidável comentário de Samuel Rosa, vocalista do Skank, sobre a maconha e o mensalão.

Samuel Rosa disse: “Maconha é proibida, mas mensalão pode fazer de novo, nè”? A frase do cantor sucedeu a música de Roberto e Erasmo Carlos “É proibido fumar” a qual o público completa com a palavra maconha.

O Vocalista do Skank procurou diferenciar as músicas tocadas no Rock in Rio do Festival Setlist que aconteceu em 2011. A mudança foi sutil, pois dez das quatorze músicas tocadas foram repetidas. As quatro músicas tocadas no Festival do Rio de Janeiro foram: uma música lançada recentemente chamada: “Presença” que teve a participação do rapper Emicida, e as nostálgicas “Resposta”, “Tão seu” e “Te ver”.

Após a música foi ouvido no palco um som de pessoas gritando a frase: “Vem pra rua, vem”, juntamente com imagens de multidões com cartazes. Parecia ser um momento inicial de um protesto, mas na verdade era uma chamada para a música “É uma partida de futebol”. O comentário sobre a maconha veio duas músicas em seguida.

Nando Reis, que tem parceria com o Skank no Palco Sunset do evento, foi convidado para cantar junto com Samuel Rosa. Ele cantou a ovacionada “Resposta”, mas, a mais esperada, “Vem deixar” deixou os fãs em êxtase.

Para encerrar foram tocadas “Saideira” misturada com “Mas que nada” de Jorge Ben e “Acima do sol” levada pela voz emocionada do público até quase a metade.

Fontes: Letras- Mensalão Folha de S.Paulo- Maconha InfoEscola- Skank Site Oficial- Rock in Rio Site Oficial

Fonte da Foto: blog-pt.hostelbookers.com 

Exercício da disciplina de Jornalismo Online

Comunicação Social- Jornalismo

Anúncios