Início

Delcídio do Amaral deixa a prisão e volta ao Senado na segunda-feira

Deixe um comentário

carro lulacarro lulacarro lulacarro lulacarro lulacarro lulacarro lula

carro lulacarro lulacarro lulacarro lulacarro lulacarro lulacarro lula

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) foi solto hoje (19) após mais de 80 dias preso em Brasília. Embora a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki que determinou que Delcídio fosse para a prisão domiciliar tenha saído no começo da tarde, somente no início desta noite o oficial de Justiça entregou o termo de compromisso para que o senador assinasse e pudesse deixar as dependências do 1° Batalhão de Policiamento de Trânsito de Brasília, onde estava preso.

Segundo o advogado do senador, Luís Henrique Machado, a defesa ainda deverá fazer questionamentos jurídicos sobre as condições da prisão domiciliar. “Existem algumas questões que ainda não estão claras, como o que é considerado horário noturno [quando Delcídio deve obrigatoriamente estar em casa] e sobre a vedação do contato dele com outros investigados na Lava Jato”, explicou Machado.

A defesa entende que o termo de compromisso da prisão domiciliar proíbe que o senador tenha qualquer tipo de contato com investigados na Operação Lava Jato. De acordo com o advogado, isso geraria conflitos com a atividade parlamentar de Delcídio, uma vez que, segundo Machado, 14 senadores se encontram nessa situação, inclusive o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Para o advogado, o fato de o termo não esclarecer qual horário é considerado noturno para que Delcídio se recolha também poderia atrapalhar a atividade de senador, porque as sessões do Senado costumam se estender até depois das 21h. O termo também estabelece que o parlamentar terá que se apresentar a um juiz a cada 15 dias. Além disso, deve entregar o passaporte em 48 horas à Justiça.

Apesar das dúvidas levantadas pelo advogado, Zavascki negou pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para proibir Delcídio de manter contato com investigados na Lava Jato, por qualquer meio. O ministro entendeu que a medida não é pertinente, sendo que outros senadores são investigados no Supremo e também participam das sessões da Casa.

Luís Henrique Machado informou que Delcídio seguirá para o local onde mora em Brasilia, um hotel da capital, onde deve ficar por todo o fim de semana aguardando para reassumir sua cadeira no Senado já na segunda-feira (22). A família do senador está na cidade e deve permanecer ao lado dele nos próximos dias.

Delcídio do Amaral era líder do governo no Senado quando foi preso, em 25 de novembro, acusado de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato. O filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró, gravou uma conversa na qual o senador oferecia R$ 50 mil para a sua família e um plano de fuga para que o ex-diretor não fechasse acordo de delação premiada com o Ministério Público.

Na decisão, Teori Zavascki entendeu que a prisão de Delcídio poder ser substituída por medidas cautelares. “É inquestionável que o quadro factível é bem distinto do que ensejou a decretação da prisão cautelar: os atos de investigação em relação aos quais o senador poderia interferir, especialmente a delação premida de Cerveró, já foram efetivados, e o Ministério Público já ofereceu denúncia contra os agravantes”, decidiu o ministro.

*Colaborou André Richter

Edição: Juliana Andrade

Desemprego sobe para 7,6%, maior taxa para janeiro desde 2009

Deixe um comentário

Dsemprego

kjgçjmçerg

A taxa de desemprego para as seis principais regiões metropolitanas do país analisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) subiu em janeiro para 7,6%, a maior para os meses de janeiro desde os 8,2% de janeiro de 2009.

Os dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) foram divulgados hoje (25) e indicam que a alta em relação a dezembro do ano passado (6,9%) é de 0,7 ponto percentual, passando a 2,3 pontos percentuais em relação a janeiro de 2015 (5,3%).

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população desocupada em janeiro era de 1,9 milhão de pessoas, crescendo 8,4% (mais 146 mil pessoas) frente a dezembro último e 42,7% em relação a janeiro de 2015 (mais 562 mil pessoas em busca de trabalho).

Os dados relativos a emprego nas seis principais regiões metropolitanas do país indicam que havia em janeiro 23 milhões de pessoas integrando a população ocupada, um recuou de 1% na comparação mensal (menos 230 mil pessoas); e de -2,7% em relação a janeiro de 2015 (menos 643 mil pessoas).

Já o número de pessoas com carteira de trabalho assinada ficou estável em janeiro (11,6 milhões), embora tenha caído 2,8% (menos 336 mil pessoas) em relação a janeiro de 2015.

Os dados divulgados hoje pelo IBGE indicam que o rendimento médio real habitual dos trabalhadores caiu 1,3% em relação a dezembro de 2015, passando de R$ 2.273,44 para R$ 2.242,90); e 7,4% quando comparado a janeiro de 2015 (R$ 2.421,51).

Também foi constatada retração na massa de rendimento médio real habitual, que em janeiro ficou em R$ 52,1 bilhões. Quando comparada a dezembro do ano passado, a queda foi de 2,5%, passando a 10,4% na comparação anual.

Quanto à massa de rendimento médio real efetivo, que em janeiro ficou em R$ 64,8 bilhões, houve crescimento de 8,8% em relação a dezembro último e queda de 9,6% em relação a dezembro de 2014.

Capitais

Os dados da Pesquisa Mensal de Emprego constataram queda da taxa de desocupação em duas das seis regiões metropolitanas envolvidas na pesquisa e estabilidade nas outras quatro na comparação mensal.

Quando comparada a dezembro de 2015, a análise mensal mostrou que a taxa de desocupação subiu de 7% para 8,1% na região metropolitana de São Paulo e de 5,9% para 6,9% na de Belo Horizonte.

Já na comparação com janeiro de 2015, houve crescimento da taxa em janeiro deste ano em todas as regiões pesquisadas, com destaque para Recife, onde o desemprego foi de 6,7% para 10,5% – alta de 3,8 pontos percentuais.

Em Salvador, a taxa passou de 9,6% para 11,8% (2,2 pontos percentuais); em Belo Horizonte, de 4,1% para 6,9% (2,8 pontos percentuais); no Rio de Janeiro, de 3,6% para 5,1% (1,5 ponto percentual; em São Paulo, de 5,7% para 8,1% (2,4 pontos percentuais); e em Porto Alegre, de 3,8% para 5,9% (2,1 pontos).

Detalhamento

Embora a taxa de desocupação de 7,6% verificada em janeiro para o conjunto das seis principais regiões metropolitanas do país tenha sido a maior desde 2009 (8,2%), por grupamentos de atividade, de dezembro de 2015 para janeiro de 2016, houve estabilidade em quase todos os setores.

As exceções foram educação, saúde, serviços sociais, administração pública, defesa e seguridade, que fecharam janeiro último com queda de 2,8% (111 mil pessoas), em relação a dezembro de 2015; e serviços domésticos, que fechou o mês passado com queda de 6,4% (93 mil pessoas), na mesma base de comparação.

Já em relação a janeiro de 2015, a população ocupada caiu 8,5% (menos 298 mil pessoas) na indústria e em outros serviços (-3,4%, 155 mil pessoas). Os demais grupamentos, segundo o IBGE, “não apresentaram variação estatisticamente significativa”.

Fonte: Agência Brasil

Atividade HIIT

Deixe um comentário

Atividade do momento

Atividade do momento

Febre nos Estados Unidos, os Treinos Intervalados de Alta Intensidade (HIIT) chegaram as academias cariocas.
A procura é grande, pois a modalidade foi apontada como o número um em tendência fitness de 2014 pelo American College Of Sports Medicine, associação americana de medicina esportiva.
Quem o procura quer os resultados apontados pela entidade, como emagrecimento rápido, ganho de massa muscular e redução do percentual de gordura.

Pernambuco quer pensão especial para bebês com microcefalia

Deixe um comentário

imagesO estado de Pernambuco quer que o governo federal crie um novo benefício voltado especialmente a bebês com microcefalia. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Social, da Criança e Juventude do estado, Isaltino Nascimento, nem todas as famílias se enquadram nos critérios para recebimento do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

“99% das famílias que entravam nas notificações de suspeita de microcefalia e estavam cadastradas no Cadastro Único ganham até meio salário mínimo por pessoa, R$ 440. Além disso, 77% delas estão no perfil de extrema pobreza, mas outra parte não se encaixa no limite de renda do BPC, de R$ 220 per capita. Mesmo sem se enquadrar, ainda são famílias pobres e vão enfrentar ainda mais dificuldades. Por isso, a [necessidade da] pensão”, explica Isaltino Nascimento.

Além da proposta de um novo benefício, o secretário cobra mais rapidez na concessão do BPC. “Apenas em quatro casos foi concedido o Benefício de Prestação Continuada, de todos os que já foram confirmados. Então a gente vai precisar de mais celeridade na possibilidade de ter o benefício.”

Procurado, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), responsável pelos recursos do BPC, disse que o pedido de criação de uma pensão para bebês com microcefalia não foi feito formalmente e que não há nenhuma discussão nesse sentido no órgão.

Ainda segundo o ministério, quem gerencia o benefício é o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Todos os casos passam pela análise de médicos peritos do órgão. Por meio de sua assessoria, o MDS lembrou que os peritos voltaram recentemente ao trabalho depois de quase 140 dias em greve.

Caso anterior

A proposta de um novo benefício se baseia em uma experiência vivida há uma década na região. A contaminação de água levada por caminhões-pipa a Caruaru levou à piora de saúde de pacientes que passavam por hemodiálise na cidade. Pelo menos 60 pessoas morreram, e outras tiveram comprometimento do fígado por causa de cianobactérias (algas verde-azuladas) presentes na água usada no tratamento dos pacientes.

Para reparar os danos sofridos e garantir uma renda mínima para quem havia perdido a capacidade de produzir, 84 famílias conquistaram, um ano depois, uma pensão especial paga pelo INSS.

Pessoas com deficiência

O Benefício de Prestação Continuada é concedido a pessoas com deficiência de qualquer idade ou idosos de mais de 65 anos, desde que tenham impedimentos de longo prazo, de natureza física ou mental, e atendam ao critério da renda. A transferência mensal é de um salário mínimo e não é preciso ter contribuído com a Previdência Social.

Para acessar o BPC, é preciso passar por uma perícia médica da Previdência Social, que vai identificar se há deficiência e qual o grau de impedimento que ela impõe à pessoa avaliada. O início do processo é feito em uma agência do INSS. É possível agendar atendimento pelo telefone 135 (ligação gratuita) ou pela internet.

Entorno das arenas olímpicas no Rio tem problemas de acessibilidade

Deixe um comentário

Equipe do aplicativo Biomob desaprova acessibilidade durante vistoria no entorno do Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão) Vinícius Lisboa/Agência Brasil

Equipe do aplicativo Biomob desaprova acessibilidade durante vistoria no entorno do Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão) Vinícius Lisboa/Agência Brasil

Os caminhos para chegar às instalações onde vão ocorrer os Jogos Olímpicos, no Rio, têm muitos “contratempos” a oferecer para as pessoas com dificuldade de locomoção. A avaliação é da equipe do aplicativo Biomob, que indica locais acessíveis, e do Instituto Brasileiro do Direito da Pessoa com Deficiência (IBDD). O Rio sediará a Paralimpíada em setembro.

“Mas o instituto sempre achou que isso poderia acontecer, porque o Estado brasileiro não tem essa preocupação. Nossas leis de acessibilidade são excelentes, mas nunca são postas em prática”, disse a superintendente do IBDD, Teresa Amaral. “Só vai ter acessibilidade nos novos estádios, construídos dentro dos padrões internacionais. No entorno mesmo, não vai ter”.

A equipe do aplicativo Biomob fez hoje (25) uma vistoria no entorno do Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), que receberá as provas de atletismo. “As condições de acessibilidade interna das arenas novas e das reformadas são perfeitas. Não temos o que contestar. O que a gente tem questionado são os entornos”, explicou o criador do aplicativo, Valmir de Souza. No percurso até o estádio, os avaliadores caminharam por ruas do centro, usaram dois modais de transporte público e observaram dificuldades, mesmo quando havia estruturas pensadas para a acessibilidade.

Valmir de Souza afirmou que o centro do Rio de Janeiro é naturalmente problemático para a pessoa com dificuldade de locomoção, pelo uso das pedras portuguesas nas calçadas. “A nossa expectativa não era muito grande, porque o Rio tem algumas questões de cidades mais antigas”, afirmou. Ele lembrou que antiguidade não pode ser usada como desculpa. “Você tem acessibilidade no Coliseu de Roma e em trechos da Muralha da China. Então, você pode ter em uma cidade pulsante como o Rio de Janeiro”.

O Engenhão não foi o único local de prova que teve o entorno vistoriado pela equipe do aplicativo, que já esteve em Copacabana, na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Barra da Tijuca e em Deodoro. O entorno imediato dos locais não apresenta entraves, mas o transporte público, sim, principalmente ônibus e trens da Supervia. No caso do Engenhão, que fica ao lado de uma estação de trem, o transporte é o principal problema.

“O ponto negativo é não ter acessibilidade em todas as plataformas. O cadeirante seria obrigado a passar por dentro do trem [se descer em outra plataforma sem elevador]. E isso vai piorando à medida que a gente vai se afastando da região central, porque vimos algumas situações que não têm elevador”, observou Souza. Ele ressaltou que o espaço entre os trens e a plataforma torna a travessia por dentro do vagão perigosa para cadeirantes. Além disso, aponta outra dificuldade: “A rampa que liga a estação até a calçada do Engenhão é muito íngreme.”

Nas vistorias, o criador do aplicativo avaliou que a acessibilidade é respeitada no metrô e no BRT, que têm estações mais novas. Já nos ônibus, há dificuldads mesmo quando o elevador de acesso está presente. Foram testemunhados complicações no equipamento e, também, desconhecimento de motoristas na hora de operá-lo. “Gera desconforto para o cadeirante e o motorista, perde-se muito tempo”, afirmou. Ele considera mais produtivo um nivelamento entre ônibus rebaixados e calçadas, para que os cadeirantes possam embarcar sozinhos.

Teresa Amaral, superintendente do Instituto Brasileiro do Direito da Pessoa com Deficiência, disse que pessoas com deficiência visual enfrentam problemas na cidade com os tipos variados de veículos que fazem o transporte público. “Têm tipos diferentes de ônibus circulando. Nunca se sabe se entra pela frente ou por trás, se desce por trás ou no meio”, diz ela, que lembra ainda há pessoas com deficiências visuais parciais e se orientam pelas cores diferentes dos ônibus. “Para o deficiente visual que não tem perda total da visão e pegava o ônibus pela cor, com a padronização, isso deixou de existir, e a pessoa não consegue mais pegar o ônibus com independência.”

Situação é melhor na Barra e pior em Deodoro

Entre os locais vistoriados pela equipe de Souza, os bairros no entorno do Complexo Esportivo de Deodoro se mostraram os mais problemáticos. “Em Deodoro, as obras nas arenas estão boas, mas o transporte público é muito ruim. As duas estações de trem ficam muito longe da arena e a pessoa tem que percorrer um longo caminho e atravessar uma via expressa com poucas passarelas”, constatou. “As calçadas lá são bem ruins. O que foi feito de novo é bom, mas se restringe à região da arena em si. Saiu da arena, a calçada está pessima”. Ele destacou que o público precisa ter a liberdade de explorar o entorno dos locais de competição, conhecer o comércio, frequentar restaurantes e passear pelos bairros.

Nessa parte da avaliação, a iniciativa privada também foi reprovada. “A questão é que a iniciativa privada ainda não enxerga a pessoa com deficiência como uma pessoa que tem demandas. Ela não é vista como um consumidor qualquer”. Segundo o criador do aplicativo, a rede hoteleira, por exemplo, tem “hotéis antigos de grande e pequeno porte que não se adequaram às regras de acessibilidade”.

Procurada pela Agência Brasil, a Supervia informou que a estação Engenho de Dentro está em reforma e serão instalados seis elevadores: cinco nas plataformas e um para a calçada externa. Sobre a distância entre os trens e as plataformas, a concessionária explicou que a frota é composta por 17 tipos de trens diferentes.

“Com o processo de renovação da frota em andamento, a previsão é que até o fim do ano estejam em circulação sete modelos tecnicamente similares, cuja altura e largura estarão adequadas às plataformas que estão sendo remodeladas”, diz a nota.

A Prefeitura do Rio e a Rio Ônibus não se pronunciaram até a publicação desta reportagem.

*Colaborou a repórter Tâmara Freire
Edição: Maria Claudia

 

Fonte Angencia Brasil

Celebre os 500 anos de Belém com 10 passeios imperdíveis

Deixe um comentário

Ver-o- peso,  Belém, PA

Ver-o- peso, Belém, PA


Prestes a comemorar 500 anos, a cidade de Belém vive uma espécie de renascimento. Depois do auge, no começo do século XX, quando enriqueceu com a exploração e o comércio da borracha, a capital do Pará volta a chamar a atenção, mas desta vez, dos turistas. Pontos históricos preservados, pratos típicos, além da beleza natural da Amazônia estão entre as atrações do lugar.

Confira dez passeios imperdíveis para conhecer a “Cidade das Mangueiras” e homenageá-la em seu aniversário, celebrado no dia 16 de janeiro.

Forte do Presépio

É aqui que tudo começou, no distante século XVII. De lá para cá, o forte foi destruído e reconstruído algumas vezes. Agora, é um dos principais pontos turísticos de Belém. Além de bem preservado, ainda oferece ao visitante uma bela vista.

Basílica de Nossa Senhora de Nazaré

Única basílica na região amazônica brasileira, ela começou a ser construída em 1909. É lá que se encerra o famoso Círio de Nazaré, uma das mais tradicionais festas religiosas do país. Chama a atenção por seu interior ricamente decorado.

Estação das Docas

Marco do recente investimento da cidade em turismo, é um centro cultural com restaurantes e lojas de artesanato que funciona no antigo porto fluvial de Belém. Além da chance de degustar deliciosos pratos típicos da culinária local, o turista ganha “de brinde” um pôr do sol de cair o queixo.

Theatro da Paz

A casa de espetáculos foi fundada em 1878, no auge do ciclo da borracha. Sua arquitetura foi inspirada na do famoso teatro Scalla, de Milão. O lugar passou recentemente por reforma, que fez o teatro retomar o brilho de seus áureos tempos.

Ver-o-Peso

Considerada a maior feira livre da América Latina. É impossível não se impressionar com a diversidade de produtos ali vendidos, que vão de peixes a castanhas.

Espaço São José Liberto

Seu prédio principal data de 1749, quando ali foi instalado o convento de São José. Fundado em 2002, o espaço é agora uma espécie de ponto de encontro das mais diversas manifestações artísticas e culturais do Pará.

Mangal das Garças

É um parque com cerca de 40 mil m2, que fica à beira do rio Guamá. Além da variedade de aves que encantam os turistas, também tem restaurantes, espaços de lazer e uma bonita vista do rio.

Museu de Arte Sacra

Localizado no mesmo complexo em que fica o forte, foi criado com a junção da Igreja de Santo Alexandre e do Palácio Episcopal. Tem cerca de 300 peças, entre estátuas de arte sacra, pinturas e pratarias.

Palácio Lauro Sodré

É a sede do Museu Histórico do Estado do Pará. Reúne mobílias, pinturas e artes decorativas dos séculos XIX e XX. Chama a atenção também pela beleza de sua arquitetura.

Parque da Residência

Já foi a residência oficial dos governadores do Pará e, hoje, abriga a Secretaria de Cultura. Além dos belos jardins, conta também com um anfiteatro para apresentações teatrais e musicais.

Sister fica furiosa com atitudes da concorrente

Deixe um comentário

amigos-cao-e-gato

legenda da foto legenda da fotolegenda da foto legenda da foto legenda da foto legenda da foto TESTE

O clima é de tensão na casa do “Big Brother Brasil 16”. Após presenciar uma nova discussão entre Renan, 29, e Ana Paula, 34, a participante Adélia, 36, não aguentou a pressão e chorou muito na madrugada desta quinta-feira (25).

Segundo o site da atração, os outros competidores tentaram acalmar a morena que até cogitou deixar o reality show da Globo. “Eu não sei discutir. Eu vou dar um murro na cara dela. Lá fora eu dou dois murros na cara da pessoa e resolvo. Aqui estou me sentindo acuada. Não posso fazer nada”, disparou a sister ao comentar da postura provocativa de Ana Paula no programa. “Ou eu entro na dispensa e eles fazem minhas malas e vou embora; ou vocês me colocam no paredão com ela e eu saio, já que o público prefere ela. Ou então, eu arrebento ela e saio por ser expulsa. Eu vou arrebentar ela na porrada e esfregar a cara dela no chão. Tenho só essas três possibilidades”, ameaçou.

Older Entries