rugby_paralimpico_onibusespecial_alexferro.25022016-3137

Segurança também é um aspecto importante no transporte de atletas Paralímpicos (Foto: Rio 2016/Alex Ferro)

O Torneio Internacional de Rugby em Cadeira de Rodas, evento-teste para os Jogos Paralímpicos Rio 2016, é um desafio para os organizadores no quesito transporte com acessibilidade. É importante que o sistema funcione corretamente, especialmente por envolver deslocamento de um grande número de pessoas que usam cadeira de rodas. Três ônibus foram adaptados para receber vários cadeirantes simultaneamente, e rampas para facilitar o embarque foram instaladas em áreas como hotéis e a Arena Carioca 1. Os atletas têm aprovado a operação.

José Higino, da seleção brasileira, também elogiou. “Eu posso dizer que esta ideia de colocar rampas nos hotéis e na arena ficou bem bacana porque não se perde o tempo usando o elevador do ônibus. Todo mundo entra de uma vez, fica bem mais rápido”, observou.

Acessibilidade aprimorada
Além da criação de rampas de acesso e ônibus adaptados, foi dada atenção a vários detalhes como os depósitos para as cadeiras de rodas das equipes dentro da Arena Carioca 1.  “A gente refinou algumas coisas detectadas no evento de basquetebol em cadeira de rodas. Fizemos adaptações do dia a dia”, explicou Rodrigo Garcia, diretor de Esportes do Comitê Rio 2016. Os elogios, segundo ele, não significam que todos devem se dar por satisfeitos. “Eventos como este são importantes para terminar o planejamento e refinar as nossas operações.”

Fonte rio2016

Anúncios