Utilizando sua conta pessoal no twitter, Papa Francisco faz um desabafo sobre o tratamento recebido pelos refugiados no continente europeu. “Refugiados não são números, são pessoas, são rostos, nomes e histórias, e assim devem ser tratados” se indiguina o Papa, em relação a atual crise de refugiados e migrantes.

Conhecido por  se expressar, pedir orações e até mesmo fazer brincadeiras nas redes sociais, Papa Francisco tem utilizado frequentemente os meios de comunicação eletrônicos para pregar, em nome da Igreja, a cultura do acolhimento e da solidariedade, segundo a qual ninguém deve ser considerado inútil ou descartável.

papa
Em sua mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado 2015, o Papa fala da esperança que os migrantes depositam em suas viagens em busca de melhores condições de vida, levando na bagagem apenas sonhos e medos. Enfatiza que a única maneira de construir um mundo mais justo e fraterno é sair da atitude de defesa, medo e marginalização, para uma atitude que se basei na cultura do encontro e solidariedade com o outro.

Reconhece que os movimentos migratórios assumiram proporções sociais, econômicas, políticas, culturais e religiosas que só uma colaboração constante e concreta, que envolva os Estados e organizações internacionais, poderá regular e administrar de forma eficaz.  “A solidariedade para com os migrantes e os refugiados há que unir a coragem e a criatividade necessárias para desenvolver, a nível mundial, uma ordem econômico-financeiro mais justa e qualitativa, juntamente com um maior empenho a favor da paz, condição indispensável de todo o verdadeiro progresso.”ressalta o Pontífice.

Desde o início de 2015, milhares de pessoas tentam entrar na Europa através de travessias perigosas no Mediterrâneo. O intenso fluxo de pessoas está relacionado à situação de conflitos armados e de perseguição em diversos países, principalmente África e Ásia. Os considerados refugiados, tem chances de receber asilo, pois fogem de perseguição, conflito ou guerra. Os migrantes buscam melhores condições de vida e por não correrem risco de vida no país de origem, não são bem aceitos. 

A UE e seus Estados membros construíram uma fortaleza cada vez mais impenetrável para manter migrantes irregulares fora. Cada Estado-Membro está tomando medidas drásticas para evitar chegadas irregulares. Migrantes e refugiados são expulsos ilegalmente, sem  ter acesso aos procedimentos de asilo e muitas vezes de maneiras que os colocam em grave risco. Eles são maltratados por guardas de fronteira e guarda costeira. Além disso, alguns países da UE estão usando a ameaça de prisãoo como um impedimento para aqueles que pensam em vir para a Europa.

Os principais países de origem dos refugiados e migrantes são: Síria, Afeganistão, Eritreia, Somália e Nigéria. A Europa é apenas um dos continentes que compõem o quadro mundial de refúgio.

Anúncios