O espaço, uma das praças mais antigas da cidade, reúne famílias, namorados e apaixonados pela fotografia para desfrutarem de espaço verde em área urbana

Praça do Passeio Publico 12

O Passeio Público já existe há mais de 150 e é a praça mais antiga de Fortaleza. (Foto: Beatriz Cordeiro)

O Passeio Público de Fortaleza oferece aos moradores da capital e aos turistas uma boa opção de lazer em família, além de ser um espaço propício às atividades físicas e à fotografia. O espaço, uma das praças mais antigas da cidade, fica bem próximo ao Mercado Central, conhecido ponto de parada obrigatório para os turistas que vêm à capital cearense, e conta com um espaço verde no Centro da Cidade e uma bela vista para o mar.

Praça do Passeio Publico 13

A árvore Baobá foi trazida em 1910 pelo Senador Pompeu. Ela é protegida pela prefeitura e não pode ser cortada. (Foto: Beatriz Cordeiro)

Histórico
O Passeio Público de Fortaleza foi construído em 1864 no governo de Dr. Fausto Augusto de Aguiar (1848-1850). O antigo espaço do Passeio ou Praça dos Mártires ia da atual Rua Dr. João Moreira (antiga Rua da Misericórdia, por causa da Santa Casa de Misericórdia) até a Praça Maceió, onde funcionava o ancoradouro desde 1649.
Durante os anos de 1879 e 1880 a praça passou por reestruturação e passou a contar com três planos separados por paredões e que separava os frequentadores por classe social. O 1º plano, na Alameda dos Mártires, media 73×41 m de área – ressalta-se que foi chamada de mártires pelo fato de os mártires da Confederação do Equador (1824) terem sido fuzilados neste local – e concentrava a elite. É no 1º plano que está uma das 45 árvores protegidas pela prefeitura e que não podem ser cortadas; o exemplar foi trazido pelo Senador Pompeu em 1910.

Com a construção da Avenida Caio Prado, em 1880, surge, como espaço destinado à classe média, o 2º plano chamado de Rocha Lima ou Carapinima e media 47×96 m de área. Já o 3º plano, chamado de Tito Rocha ou Avenida Mororó, contava com 86×79 m de área e era o espaço para os menos abastados, prostitutas e soldados. Hoje, o 3º plano está cortado pela Avenida Castelo Branco.

Tombamento e revitalização
O equipamento foi tombado em 1965 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em ação conjunta entre a Prefeitura Municipal de Fortaleza e os Governos Estadual e Federal. O Passeio Público ficou por muito tempo esquecido pelo poder público e só em 2007 foi totalmente revitalizado pela prefeitura municipal e conta hoje com rede wi-fi livre para todos os usuários. O equipamento mistura em sua história tragédia, glamour e abandono e é marca registrada dos tempos áureos de Fortaleza.

CONFIRA A GALERIA CLICANDO NA IMAGEM ABAIXO

Praça do Passeio Público, Fortaleza-CE

MATÉRIA SOBRE A PRAÇA

Anúncios