O vocalista da banda Skank criticou, durante a gravação nesta segunda-feira (15) do programa “Rockgol” da MTV, a segregação no mundo da música e a idealização de que o rock é o melhor estilo musical. “O que me espanta é a galera do rock ficar nessa coisa dogmática de classificar o que é rock e o que não é. Como se o rock fosse sinônimo de excelência, mas não é. Tem muita porcaria no rock”, comentou.

Samuel defendeu a qualidade musical independentemente do ritmo, cantor ou tendência musical. “Tem gente que levanta a bandeira ‘sou do rock’ como se isso significasse alguma coisa. Esses são uns grandes b***. Não adianta nada ser do rock, tem que ser bom. Tem que ter qualidade e isso não depende do que se toca”.

A banda participará pela terceira vez do festival Rock in Rio, que acontece em setembro, e não aprovam a forma como os “roqueiros fanáticos” insistem em criticar as atrações do festival.
“O Rock in Rio nunca foi um festival de rock. Assim como o Woodstock nunca foi”, disse o tecladista Henrique Portugal. “Dizem que o Skank não é rock e eu estou pouco me fo****”, completou Samuel.

Fonte: UOL

Anúncios