A escola deveria ser um local seguro para as crianças que precisam aprender e se desenvolver e também para os pais que deixam seus filhos todos os dias com a esperança de um futuro melhor para os pequenos. Mas isto não está acontecendo nas escolas da rede municipal de Fortaleza.

o Sindicato dos Vigilantes do Ceará garante que desde o ano passado, vigilantes que atuam em escolas do município são demitidos. Em junho do ano passado, 166 profissionais perderam o emprego e algumas escolas ficaram sem cobertura.

Sem segurança, as escolas se tornam alvo fácil para criminosos. No bairro Lagoa Redonda, uma instituição foi invadida por assaltantes durante uma madrugada. Ainda assim, a escola continua sem segurança. No Bom Jardim, a situação se repete. Só existe porteiro em uma das instituições de ensino. Nenhum vigilante trabalha na escola.

De acordo com o Sindicato dos Vigilantes do Ceará, hoje existem 776 profissionais atuantes nas escolas municipais de Fortaleza. O problema é que desses, 600 estão cumprindo aviso para demissão e os outros 176 terão o contrato encerrado agora em abril.

Como a Prefeitura de Fortaleza até agora não sinalizou renovação dos contratos, ou nova licitação, entende-se que a segurança escolar ficará sob responsabilidade apenas da Guarda Municipal, que realiza rondas no entorno dos prédios. A categoria afirma que se não receber uma resposta positiva do Executivo até o fim de semana, realizará uma paralisação durante o carnaval.

fonte: CNews

Anúncios