A guerra na Síria, que está prestes a completar seis anos, atingiu o maior nível de violência contra crianças no ano de 2016. De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) pelo menos 652 crianças foram mortas no ano passado, totalizando um aumento de 20% em relação a 2015.

Além disso, mais de 850 crianças foram recrutadas para combater no conflito, o dobro do número registrado em 2015. O diretor do Unicef para o Oriente Médio e o Norte da África Geert Cappelaere disse “ O grau de sofrimento não tem precedentes. A cada dia milhões de crianças são atacadas na Síria, suas vidas viradas de cabeça para baixo”.

baraa-7-na-frente-de-sua-escola-destruida-em-idlib-no-norte-da-siria-1489428755333_615x300

Baraa, 7, na frente de sua escola destruída no norte da Síria

Duzentas e cinquenta e cinco crianças foram mortas dentro ou perto de escolas, disse a Unicef, o que obriga os pais a tomarem medidas extremas para a sobrevivência de seus filhos como tirar as crianças das escolas, forçar casamentos precoces e o trabalho infantil. Muitas vezes as crianças são obrigadas a trabalhar em condições cruéis.

sala-de-aula-destruida-em-east-ghouta-no-suburbio-de-damasco-na-siria-1489428837195_615x300

Sala de aula destruída em escola no subúrbio de Damasco

Cappelaere afirma ainda que algumas das crianças que são recrutadas cumprem funções extremas como “escudos, homens-bomba ou guardas de prisões”.

Os números sobre crianças vítimas de violência na Síria, coletados desde 2014, apresentam apenas as mortes oficialmente registradas, o que significa que o número verdadeiro pode ser ainda maior.

No momento quase seis milhões de crianças dependem de ajuda humanitária e mais de dois milhões vivem como refugiadas em países vizinhos. O Unicef faz um apelo para que o conflito acabe, e assim também o sofrimento dos mais vulneráveis.

Fonte: Correio do povo, G1, Uol notícias

Anúncios