O show acontecia havia mais de uma hora quando Criolo, atração especial daquela noite ao lado da incomum parceira Ivete Sangalo, tirou a atenção do palco para uma mesa no meio da plateia. No mar de celebridades globais, atletas e jornalistas em trajes de gala, a senhora de vestidinho florido e o homem de bata hippie e cabeleira black power grisalha despertavam curiosidade.

Conforme se descobriria a seguir, o casal homenageado pelo rapper com um bonito discurso eram os pais dele, trazidos do Grajaú, zona sul de São Paulo, à Glória, zona sul do Rio de Janeiro, como convidados especiais do espetáculo musical.

“Vacilaram em não chamar Ed Motta e em não me chamar”, diz filho de Tim Maia sobre parceria de Ivete Sangalo e Criolo.

À medida do possível, interrompidos aqui e ali pelo som das canções de Tim Maia (aquele era o primeiro show de projeto da Nivea em homenagem ao Rei do soul brasileiro), Cleon Gomes e Maria Vilani atenderam pacientemente a reportagem da Rolling Stone Brasil para falar sobre as raízes de Criolo.

Criolo é coadjuvante em parceria com Ivete Sangalo para homenagear Tim Maia.

Muito mais a professora de filosofia Maria, a quem logo o pai, metalúrgico de formação, passou a palavra.

Leia a entrevista:

O quão grande é o privilégio de ver o filho do senhor sendo escalado para homenagear Tim Maia?
Cleon Gomes: É uma emoção muito forte, vai além das minhas expectativas. Para mim é um privilégio incomum. Mas a razão maior do sucesso do meu filho não sou eu, é a mãe dele.

Fonte: Rollingstone

Anúncios