O jornalista, Alexandre Garcia, em seu Twitter citou o tiro no pé que foi a tentativa de defesa do Presidente da República, Michel Temer, frente às denúncias feitas pelo então Procurador-Geral da República (PGR), Rodrigo Janot, na Câmara dos Deputados:

Alexandre Garcia

Temer queria afastar Janot da liderança das investigações e dos processos que correm contra si, por isso pediu ao  Supremo Tribunal Federal que considerasse o PGR isento, mas perdeu de goleada: 9 a 0.

Por unanimidade, os Ministros do Supremo afastaram os argumentos da defesa de Temer e votaram pela continuidade do antigo Procurador-Geral à frente das investigações.

Isso é uma boa notícia, pois até agora o quadrilhão da política brasileira virou uma comédia e essa quadrilha não só rouba unida como tem chefe. Tudo isso é uma vergonha, pois sabemos que tal chefe é o próprio Presidente da República. Nunca se viu nada igual neste país!

O Presidente da República, Michel Temer, vem a muitos anos praticando atos ilícitos e continua praticando atos condenáveis mesmo depois que assumiu a presidência. O que mais nos deixa intrigado é a sua astúcia ao dizer que seus opositores são apenas detratores que querem prejudicar o seu trabalho, por exemplo na área econômica, a qual vem conduzindo com muito esmero, apresentando a economia avanços como nunca se viu em governos anteriores.

Ele pensa que o povo brasileiro não vê as marmotas que ele vem aprontando com seus Ministros e aliados no Congresso Nacional, inclusive com a compra de parlamentares para votar matérias e questões de seu interesse a seu favor, como o não prosseguimento da denúncia contra ele na Câmara, que aconteceu quando da primeira votação no Congresso no qual os deputados votaram contra o prosseguimento das denúncias apresentadas pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.

Mas a decisão do STF é um alívio na situação de hoje em dia: pelo menos se tem a garantia que o papel dos Procuradores é denunciar e acusar mesmo e não serem isentos.

Anúncios