Exercício Legenda das Fotos – Camilla Maria

Antonio, trabalhador rural, de 49 anos está contente em saber que na nova reforma previdência ele pode aposentar-se por tempo de contribuição.
Congestionamento de barcos, em Veneza, no nordeste da Itália. A obstrução ocorre durante a gravação do filme “Duro de Escapar” que será lançado em 2020.
O olhar supostamente feliz de quem ainda não fez nenhuma refeição hoje. À esquerda, a criança por nome Maria, disse que não se alimenta faz dois dias

 

O Japão promove, nos dias 17 e 18 de Maio, o encontro do gigante Kin Chuan On com o anão Kin Chuan Off. Ingressos à venda nas farmácias Umbrella Corporação
Maria, de 37 anos, empregada doméstica sofre com a falta de saneamento, no bairro Lagamar. À esquerda, o companheiro Bartolomeu, retira água da chuva que coletou na noite anterior
Taxa de mortalidade infantil no Brasil recua em 2019. Segundos os dados do IBEGE, a redução teve o percentual de 60% no primeiro semestre
Problema ambiental: o rio Maranguapinho sofre com a poluição das cidades e morrem dezenas de espécies de peixes. Roberto, de 62 anos, tem dificuldade em remar entre a água poluída
O Governo da Coréia do Norte recolhe armas de fogo. O senado negou o porte de armas para a população coreana
São Paulo Fashion Dog promove desfiles para raças de pequeno porte. A cadela Lene tem sua primeira participação no evento
Anúncios

Notre-Dame: oito séculos de história em chamas (empacotamento)

camilla foto

Na última segunda feira (15), a cidade de Paris parou para observar com grande pesar, um dos monumentos históricos ser consumido no incêndio. A Catedral de Notre-Dame com mais de oito séculos de história foi construída entre 1163 e 1245 sendo reformada inúmeras vezes agora estava em chamas.

Especula-se que o incêndio tenha sido devido as obras de restauração da igreja. O fogo começou no período da noite e rapidamente espalhou-se pelo telhado da catedral que consumiu o pináculo, e este veio desmoronar pouco antes do próprio telhado também vir abaixo.

Uma imensa nuvem de fumaça poluiu a cidade e cinzas caíram por uma grande área. As pessoas que observavam essa tragédia suspiraram quando o pináculo da catedral desabou sobre as chamas.

Laurent Nuñez, do Ministério do Interior da França, disse que o trabalho incansável  dos bombeiros evitou que ocorresse dano maior a estrutura de Notre-Dame.

Ele ainda parabenizou a “coragem e determinação” dos homens incansáveis, que não mediram esforços e “arriscaram suas próprias vidas”, para tentar resguardar o restante da catedral que ficou conhecida também como “Nossa Senhora” e é dedicada à “Virgem Maria”.

Fontes: G1, BBC, EL PAÍS

Incêndio atinge a catedral de Notre-Dame em Paris: últimas notícias

3

Um incêndio atinge a catedral de Notre-Dame, em Paris, desde o final da tarde desta segunda-feira, causando a destruição de grande parte da icônica igreja católica. O fogo estaria relacionado às obras de restauração da catedral de Notre-Dame. Segundo os porta-voz da catedral, as chamas começaram por volta das 18h50 (horário local) e os bombeiros chegaram poucos minutos depois –várias estátuas haviam sido retiradas previamente por conta da reforma. Entretanto, o fogo causou a queda da icônica agulha que fica no topo da igreja, o monumento mais visitado da Europa. A área foi evacuada. Símbolo da França, a catedral de Notre-Dame começou a ser construída em 1163 e 1345, passou por várias reformas ao longo dos séculos e já foi atingida anteriormente por outro incêndio, em 1871.

Fonte: EL PAIS

Incêndio em Notre-Dame: os trinta minutos cruciais que impediram a destruição total da catedral

2

Laurent Nuñez exaltou a “coragem e determinação” dos bombeiros que “arriscaram suas próprias vidas” para salvar a estrutura principal e as duas torres da catedral. Por outro lado, não resistiram ao incêndio o telhado e a agulha do monumento.

“Sabemos que tudo se resumiu a 15-30 minutos”, declarou Nuñez, acrescentando que a polícia e os bombeiros passarão as próximas 48 horas avaliando a segurança atual da estrutura.

“Estes agentes colocaram suas vidas em risco para atacar o incêndio desde o interior (da catedral), o que permitiu salvar a construção.”

Parte da estratégia essencial usada pelos bombeiros foi criar uma espécie de parede de água entre o segmento da construção que pegava fogo e as duas torres da fachada oeste.

Fonte: BBC

Incêndio atinge a Catedral de Notre-Dame, em Paris

1

Um grande incêndio atingiu nesta segunda-feira (15) a catedral de Notre-Dame, em Paris, um importante símbolo da cidade. A “flecha”, torre mais alta da catedral, desmoronou, mas a estrutura do prédio foi salva, segundo os bombeiros.

Um bombeiro ficou gravemente ferido durante o combate ao incêndio, de acordo com a agência Reuters.
O fogo foi relatado primeiro por usuários em redes sociais. Não está claro ainda o que o causou, mas ele pode estar relacionado a uma obra que vinha sendo feita no telhado. A emissora France 2 disse que a polícia está tratando o caso como um acidente.

A polícia isolou a área e retirou os turistas que estavam dentro da catedral. O acesso à Île de la Cité, onde fica a Notre-Dame, foi completamente fechado.

Fonte: G1

Veles, a indústria de notícias falsas

fake news 2
A proliferação de notícias falsas também conhecidas como Fake News, pode interferir negativamente na sociedade

Em uma entrevista para o Globo News conheça quem ajudou a mudar o curso da história das eleições nos EUA. Durante a eleição de 2016, nos Estados Unidos, na imprensa internacional começou a circular o termo “fake news.” O atual presidente Donald Trump tornou-se alvo desse burburinho, então o mundo conheceu a cidade de Veles e os “Veles boys”.

Em uma casa simples e sem muito aparato tecnológico apenas com o sistema “Google AdSense”, o garoto Christian de apenas 19 anos, integrante do grupo “Veles Boys”, liderou uma série de ataques virtuais no período eleitoral dos EUA com apenas alguns cliques partindo da cidade de Veles, no interior da Macedônia.

Veles tem aproximadamente 40 mil habitantes com uma taxa de desemprego que afeta os jovens entre 15 a 29 anos. A falta de periodicidade de monitoramento virtual dos conteúdos conhecidos como “fake news”, faz com que esses jovens tenham um espaço para se apropriar, produzir falsas notícias, manipular todo sistema a favor de quem eles querem e ainda encontrar uma fonte rentável para essa ação.

Com um sistema lucrativo para ambas as partes, de quem produz e quem permite a liberação dos acessos, é assim que o jovem Christian deseja permanecer e quem sabe no futuro ter sua própria fonte lucrativa no meio virtual, mas sem o termo “fake news” associado aos seus negócios.

Manifestantes pedem prisão de mandantes da morte de Marielle

foto_credito_caio_oliveira
Comissão de Direitos Humanos da Alerj faz sua primeira reunião no dia em que completa um ano da morte de Marielle Franco. Na foto, a presidente da comissão, deputada Renata Souza – Caio Oliveira/Direitos Reservados

Um ato na Cinelândia, nesta quinta-feira (14), reuniu centenas de pessoas para lembrar um ano da morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

A irmã de Marielle, Anielle Franco, participou do ato. Ela subiu ao palco e agradeceu as manifestações de apoio e carinho que a família vem recebendo. Para ela, o crime será totalmente elucidado.

“A gente não teme [que o caso caia no esquecimento], pelas pessoas que estão à frente. Eu perguntei às promotoras o que ia acontecer, e elas responderam que era para ter calma, pois muito mais coisas iam ser descobertas. Tem um mandante aí. E a gente precisa saber quem foi. As investigações não podem parar. Não vão parar. E eu espero que puxem, até que quem está lá em cima caia”, disse Anielle. A Justiça converteu hoje em prisões preventivas as prisões em flagrante de Elcio Vieira de Queiroz, Ronnie Lessa e Alexandre Mota.
Banner onde você lê “Marielle vive!” durante uma manifestação marcando o primeiro aniversário do assassinato da vereadora Marielle Franco.
Manifestação marca um ano do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes – Reuters/Ricardo Moraes/Direitos Reservados

Queiroz e Lessa foram presos preventivamente na última terça-feira (12) sob suspeita de serem os assassinos da vereadora carioca Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, além de terem cometido tentativa de homicídio contra a assessora Fernanda Chavez, que estava no carro e sobreviveu aos disparos, realizados há exatamente um ano.

O Movimento Rio de Paz, que promove manifestações em defesa da vida e pelos direitos humanos, montou uma cela no local do ato para cobrar a prisão dos mandantes dos crimes.

“Nós recebemos uma resposta parcial, depois de um ano de pressão da sociedade. E os poderosos? E os interesses políticos que estão por trás desse crime? Nós temos que conhecer a mente perversa que está por trás”, disse Antônio Carlos Costa, fundador do Rio de Paz.

Segundo autoridades, a segunda etapa da investigação vai se concentrar na descoberta dos mandantes.

Alerj

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) fez hoje sua primeira reunião. Antes de ser eleita vereadora, Marielle era assessora do então deputado estadual, Marcelo Freixo (PSOL), que integrava a comissão.

“A nossa condução é de fato para dar continuidade ao trabalho que a Marielle iniciou na comissão junto com o Freixo e ampliar esse trabalho. A gente está construindo um processo participativo e coletivo para pensar a agenda política da comissão”, disse a deputada Renata Souza, que preside a comissão e foi chefe de gabinete de Marielle, na Câmara dos Vereadores do Rio.

Na primeira reunião, foram aprovadas duas audiências: uma sobre operações policiais em favelas e outra sobre chacinas na Baixada Fluminense. “Isso é sim dar continuidade ao trabalho que a Marielle iniciou na Comissão de Direitos Humanos”.
Reunião da Comissão de Direitos Humanos da Alerj.
Comissão de Direitos Humanos da Alerj faz sua primeira reunião no dia em que completa um ano da morte de Marielle Franco. Na foto, a presidente da comissão, deputada Renata Souza – Caio Oliveira/Direitos Reservados

Para a parlamentar, as prisões do policial militar reformado Ronnie Lessa, apontado como o atirador, e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, que dirigia o carro de onde partiram os tiros, renovam a esperança na elucidação do crime, mas se mostrou preocupada com o “discurso fácil” de que os dois teriam participado do atentado por crime de ódio.

“Esse discurso não corresponde ao que a própria investigação mostrou de que foram três meses de muita aplicação e muita organização para cometer este crime. Então, sem dúvida é trazer um debate que prejudica a continuação das investigações. Não foi um crime de ódio, não foi um crime de repulsa [a Marielle e à atuação política dela]. Teve um mandante porque foi muito organizado. Sem dúvida a gente precisa continuar pressionando para que as respostas cheguem de fato. A população exige, porque afinal a gente vive em um Estado Democrático de Direito e um crime contra uma vereadora é sem dúvida um risco para a democracia no Brasil”, afirmou a deputada, que sobre a mesa tinha uma réplica de uma placa de rua em homenagem a Marielle Franco.

De acordo com o Ministério Público, Ronnie Lessa nutria repulsa pelas causas defendidas pela vereadora e o assassinato teria sido motivado por ódio, mas não descarta a existência de mandantes.

Na linha de temas que eram defendidos por Marielle, Renata Souza apresentou, junto com as colegas de partido, Dani Monteiro e Mônica Francisco, projetos sobre assistência técnica para a construção de moradias populares e programas para adolescentes que cumprem medidas socioeducativas.

Fonte: Agência Brasil