Início

Deixe um comentário

Senhoras do Açude

Anúncios

Deixe um comentário

Raimunda e o peixe

As senhoras do açude

Deixe um comentário

Em General Sampaio, cerca de 130 km da Capital Fortaleza, diversas mulheres falam da necessidade do seu reconhecimento como pescadoras.
Segundo o Boletim estatístico da Pesca e Aquicultura no Brasil (Ministério da Pesca e Aquicultura, 2010), existem no Ceará 30.184 pescadores, dos quais, 24.161 são homens e 6.023 são mulheres, ou seja, 80% e 20%, respectivamente;
Mesmo com a significativa progressão da participação da mulher no mercado de trabalho (IBGE, 2014), no âmbito geral, as ocupações que exigem um maior desprendimento físico ou qualificação específica ainda são ocupadas por pessoas do sexo masculino. No caso das pescadoras, o senso comum aponta para uma inusitada relação destas com a sua comunidade e família.
Em General Sampaio, constata-se um diferencial: a colônia de pescadores que agrega os profissionais da área e pauta pelos direitos desta população é presidida por uma mulher, assim fazendo um contrapondo da diversa realidade.
Convencionamos denominá-las “Senhoras do Açude” pela representatividade de gênero, pela sua identificação com a profissão e o recurso natural de onde extraem seu sustento. “Senhora”, por ser, muitas vezes, a chefe da família, é a forma como é tratada cotidianamente em seu território. “Do açude” por ser o segundo espaço no qual elas mais se socializam.
Sobre o trabalho das mulheres na pesca, existem muitas questões importantes de se considerar. Uma delas, é que o trabalho na pesca não é só uma questão de trabalho no sentido tradicional, como a gente pensa, assim, a gente vai lá, ganha recurso por isso, se levanta todo dia e vai… O trabalho na pesca artesanal tem toda uma relação com o ecossistema, com o meio ambiente, com os tempos. É outra temporalidade do capital, do corre-corre da cidade. É o tempo dos ambientes, é o tempo da reprodução, tem períodos que não pode pescar. Então, quem trabalha na pesca artesanal acumula bastante conhecimento sobre os ecossistemas, sobre a biodiversidade presente nos territórios.
As mulheres pescadoras apontam os desafios de resistir na luta diária. “De tanto andar pra riba e pra baixo a gente também se cansa. Não é só o homem não! Afirmou Raimunda Santos, 54, pescadora. Os homens não tem como obrigação os trabalhos domésticos, ficando concentrado nas mulheres, completou “O homem quando ele chega, né, “rumbora mulher,faz a comida ai, eu tô com fome”. Vamo pro pé do fogão, corre prum canto, corre pra outro… a gente faz aquele dicomê ele tá deitado ali na rede, né, a gente faz aquele pratinho de comida “pega homi, vai comer”, vai dormir”.
Prá mim a pesca é um meio de vida e de sobrevivência que a gente tem, né ? Aqui em General Sampaio o único meio de sobrevivência que a pessoa tem nas águas é a pesca. Sem a pesca a gente não tem outra sobrevivência… a gente pega um peixinho vai vender, afirma Leidiane Cardoso Ribeiro, 26 anos, Pescadora.
“A pescaria para mim é uma fonte de renda. Em tempos atrás eu não era pescadora. Até antes da minha filha nascer eu era da parte da agricultura e meu esposo era pescador. Quando a gente casamos ai eu procurei o Sindicato que era pra fazer um documento ai ele falou que eu não podia porque eu era casada com um homem pescador e fazia parte da Colônia, então eu tinha que procurar o INSS e fosse falar sobre isso aí”, relata Pedra Zuleide Gomes Barbosa, 44 anos.

TRABALHO ESCRAVO NO BRASIL

Deixe um comentário

Entrevista com Ney Matogrosso

Deixe um comentário

Ney de Souza Pereira nasceu em 1º de agosto de 1941 na pequena cidade de Bela Vista, no Mato Grosso do Sul na fronteira com o Paraguai. Iniciou a sua carreira no inicio dos anos 70 na banda Secos e Molhados não demorou muito para ser um grande sucesso da Música Popular Brasileira, a banda não durou muito, mas Ney Matogroso já era um grande sucesso no Brasil. Ao 29 anos se tornaria um dos maiores sucesso do Brasil, vendendo mais de 1 milhão de LP na Banda Secos e Molhados. 

Matogrosso foi o sobrenome que o artista adotou em homenagem ao seu pai.  O inicio da sua carreira foi marcado pela censura que o país estava enfrentando nos anos 70. Dono de uma voz inconfundível e um formato peculiar de apresentação se tornou logo um artista completo. No decorrer da carreira, Ney aperfeiçoou-se como intérprete, passando a acrescentar uma carga tão intensa de estilo pessoal a uma música, praticamente tornando-se co-autor.

 Ney transformou-se em um dos intérpretes mais precisos de Chico Buarque em músicas como “Deixa a Menina”, “Tanto Amar”, “Até o Fim” e “Las Muchachas de Copacabana”; foi veículo ideal para as divertidas composições de Eduardo Dusek, como “Folia no Matagal”, “O Rei das Selvas”, “Cobra Manaus” e “Destino de Aventureiro”; e injetou ainda em sua explosiva receita o sangue fresco da nova geração comprometida com o rock, como atestam as faixas “Por que a Gente é assim?”, “Pro dia nascer Feliz”, “Fogo e Risco” e “Tão Perto”.

Ney Matogrosso comemora 30 anos de carreira mergulhando no universo musical de um dos nossos maiores compositores: Agenor de Oliveira, o Cartola. A admiração pelo sambista carioca veio muito antes do inicio da sua carreira.

Ney Matogrosso vem a Fortaleza para participar do festival Ceará Music 2017. Além da apresentação, o cantor também será contemplado com uma homenagem do Governo do Estado do Ceará, por sua carreira e a sua contribuição a Musica Popular Brasileira.

Segue algumas sugestões de perguntas:

1973- Continental - Secos e Molhados

imagem 01. 1973- Continental – Secos e Molhados

Ney Matogrosso

Imagem 02. Um dos maiores sucesso de Ney Matogrosso

o beijo bandido

Imagem. Capa do CD Beijo Bandido

o vagabundo

Capa do CD vagabundo de Ney Matogrosso com Pedro Luis

1. Ney conta pra nós qual e a receita para manter uma carreira solida como a sua?

2 Como foi vivenciar a arte em um período de ditadura no Brasil?

3 Você sempre foi marcado pela sua irreverencia de cantar e se apresentar nos palcos, de onde vem a inspiração?

4 Como você ver o Brasil de hoje?

5 Como você o Brasil do inicio da sua carreira comparando com o cenario atual, nas artes e na politica?

6 Qual o conselho que dar para os novos artista que estao surgindo e de varias formas se inspiram em você?

7 Você é um artista de varias fases, qual a que mais marcou a sua carreira? 

8 O Ceara Music deste ano te faz uma homenagem, deixa um recado aos cearense que acompanha a sua carreira?

9 quais as lembras marcantes da sua infância?

10 com a popularização da internet, qual e o segredo para se manter no cotidiano dos Brasileiros, foi difícil se aptar no mundo digital?

por fim, agradeço sua disponibilidade.

Deixe um comentário

Orgulho LGBT//embedr.flickr.com/assets/client-code.js

Adele A Vida Real

Deixe um comentário

Older Entries