Início

Palmeiras finaliza pré-contrato e está perto de fechar com Emerson Santos

Deixe um comentário

Exercício com texto do site Globo.com

Emerson Santos conversou com Mattos após a partida entre Palmeiras e Botafogo (Foto: Marcelo Baltar)

A negociação entre Palmeiras e Emerson Santos está perto de um final feliz para os alviverdes. A diretoria do clube paulista tem um acordo verbal com o defensor de 22 anos, que atua pelo Botafogo e estava na mira do rival Corinthians.
O pré-contrato do defensor está sendo finalizado pela diretoria alviverde. Segundo informou o portal Uol, Emerson tem acerto com o Verdão válido por cinco temporadas e será integrado ao elenco alviverde em janeiro do ano que vem. O clube ainda aguarda para fazer o anúncio.

Emerson Santos tem vínculo com o Botafogo até dezembro e está livre para assinar um pré-contrato com outro clube. Ele também era alvo do rival Corinthians, que chegou a negociar com os representantes do jogador e com a diretoria do Alvinegro carioca, mas não conseguiu avançar.

O jogador está no Rio de Janeiro, onde treinou normalmente na última segunda-feira e é aguardado nesta terça-feira para a atividade da tarde, comandada pelo técnico Jair Ventura.
No dia 2 de agosto, o Verdão foi até o Rio de Janeiro e venceu os botafoguenses por 2 a 1. Após o confronto, Alexandre Mattos foi visto conversando com Emerson nos vestiários do estádio Nilton Santos.

Na semana passada, questionado sobre se esperava alguma contratação para a vaga do lesionado Yerry Mina, Cuca negou a chegada de um novo defensor para a disputa do Brasileirão. Além do colombiano, que deve ser desfalque nos próximos meses após fraturar um dedo do pé esquerdo, o Verdão conta com Edu Dracena, Luan, Juninho e Antônio Carlos para o setor – Thiago Martins está em fase de transição física após passar por uma cirurgia no joelho em março e deve ficar à disposição da comissão técnica em breve.

Fonte: Globo.com

Cuca explica pedido para sair e diz que fica no Palmeiras: “Vou até o fim”

Deixe um comentário

Exercício com texto do site Globo.com

Cuca em entrevista coletiva nesta sexta (Foto: Felipe Zito)

Depois de muita especulação sobre seu futuro, Cuca veio a público nesta sexta-feira para garantir que ficará no Palmeiras. Em entrevista coletiva na Academia de Futebol, o treinador primeiro disse que permanecerá no clube até o fim do Campeonato Brasileiro, mas em seguida indicou que dirigirá a equipe também em 2018 – o vínculo dele acaba em dezembro do ano que vem.
Cuca confirmou que manifestou a possibilidade de deixar o Verdão após o atrito com o volante Felipe Melo na eliminação na Copa do Brasil, diante do Cruzeiro. Minutos antes da declaração do técnico, o diretor de futebol Alexandre Mattos admitiu a informação, mas reiterou que o treinador foi mantido e segue prestigiado no comando do clube.
– Uma vez eu falei: “Se vocês acharem que é melhor eu sair, eu saio”. Que foi o momento lá com o Felipe. Foi a única vez, porque eu não queria tomar aquela medida em cima de uma situação desagradável como foi tomada depois do jogo contra o Cruzeiro aqui em casa, nada lá em Minas. E não foi em cima do resultado, mas, sim, do episódio em si – disse o técnico.
Sobre Felipe Melo, aliás, o treinador preferiu não falar muito.
– Não tenho nada contra o Felipe Melo. O que eu tinha para falar desse assunto já falei. Vida que segue. Isso é problema do jurídico e da direção.
O treinador reclamou das fofocas no clube.
– Eu vejo muito disse me disse. Aqui tem muito disso, em tudo o que é setor. Escutamos muita coisa, me falam tudo o que acontece, sempre que não vejo. As coisas quando não são reais tem de se defender. Quer falar mal da parte tática e técnica nunca vou falar, mas outras coisas que não são verdadeiras isso deixa a gente muito sentido. Falar que eu pedi demissão cinco, seis vezes, é mentira – afirmou Cuca.

O técnico, então, deu a entender que estará no comando da equipe até o fim do Campeonato Brasileiro. Ele contou também que deixou a diretoria à vontade para trocar de comando após a queda na Libertadores. Na quarta posição, com 32 pontos, o Palmeiras parte para a competição nacional como único objetivo restante da temporada. E, nas palavras do treinador, o Verdão estará presente no G-4 do torneio e classificado para a Libertadores do ano que vem.
– Eu falei: “Se vocês acharem que é melhor a minha saída, eu entendo”. Então, foi uma decisão da diretoria, não minha, e foi a única vez. Eu cumpro meus contratos. Vou até o final. O Brasileiro aqui eu toco até o final. Lógico que eu não sou o dono. Como eu falei, quem tem de avaliar o trabalho do treinador é a diretoria, não sou eu quem me garante no emprego. Agora, eu não sou de largar porque perdeu. Eu confio nesses caras, nos meus jogadores. Estou orgulhoso deles, como eu falei depois do jogo, da luta, do empenho. Estou triste e aborrecido pelas eliminações. Podíamos ter ido além? Muito. Agora, pedir demissão? Jamais. Vou até o fim, estou preparado para tirar o máximo de cada jogador. Estou mobilizado com eles, adoro todos. Estamos juntos junto até o fim do Brasileiro, e vamos classificar para a Libertadores – declarou.

Fonte: Globo.com

Com Cuca instável e Mattos sob pressão, Palmeiras tenta reencontrar rumo no ano

Deixe um comentário

Exercício com texto do site Globo.com

Alexandre Mattos e Cuca em treino do Palmeiras (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

O quase sempre agitado ambiente do Palmeiras ganhou mais intensidade na última semana. Depois da eliminação nas oitavas de final da Libertadores, na quarta-feira passada, o Verdão passou a conviver com dias de pressão e instabilidade. É neste cenário que o time de Cuca volta aos trabalhos nesta quarta-feira à tarde, na Academia de Futebol.

Após dois dias de folga, o elenco alviverde se reapresenta e inicia preparação para a segunda rodada do segundo turno do Campeonato Brasileiro. No domingo, os palmeirenses recebem a Chapecoense na arena, às 19h (de Brasília).
No primeiro jogo depois da queda diante do Barcelona de Guayaquil, a Libertadores ainda foi assunto. O empate em 1 a 1 com o Vasco, em Volta Redonda, foi lamentado pelo gol sofrido nos minutos finais, mas também colaborou para a dor causada pela eliminação na competição sul-americana demorar um pouco mais a ser superada – já são dois jogos seguidos sem vitória no torneio nacional.

Pressão sobre Alexandre Mattos
No clube, o trabalho do diretor de futebol Alexandre Mattos voltou a ser questionado. O dirigente convive desde 2015 com críticas de conselheiros por causa dos gastos, mas isso acabou intensificado por causa da queda na Libertadores. O trabalho de Cuca também é questionado em seu retorno ao clube, já que o time ainda não tem uma formação ideal e alguns jogadores caíram de rendimento.
Depois de muita expectativa, o Palmeiras chegou ao mês de agosto longe da disputa do título do Brasileirão e eliminado da Copa do Brasil e da Libertadores – no primeiro semestre, já tinha falhado no Campeonato Paulista. Isso gerou reclamações e até protesto formal de uma organizada.

O investimento feito em contratações como a de Borja, eleito melhor jogador da América do Sul em 2016, de Guerra, melhor da Libertadores do ano passado, e de Felipe Melo não se traduziram em bons resultados até agora.
Mesmo com números e desempenho bem abaixo do esperado, o presidente Maurício Galiotte já se posicionou publicamente em defesa ao trabalho de Mattos e do técnico Cuca. O mandatário, inclusive, apareceu em evento na sede social do clube na semana passada ao lado do dirigente, o que significou para alguns conselheiros como uma mensagem de força e prestígio.
O diretor de futebol também tem a confiança de Leila Pereira e José Roberto Lamacchia, conselheiros e patrocinadores do clube. A empresária até afirmou publicamente que repensaria o investimento em contratações caso o dirigente deixasse o clube antes do fim do seu contrato, que se encerra ao término da gestão de Galiotte, no fim de 2018.
Presidente banca “profissionalismo”

Mais presente no dia a dia palmeirense na Academia de Futebol e nas viagens, o presidente Maurício Galiotte mantém postura firme sobre os questionamentos que Alexandre Mattos e Cuca vêm sofrendo nos últimos dias. O dirigente abafa qualquer pressão externa e garante que o departamento de futebol e o comando da equipe não sofrerão mudanças.
– Alexandre Mattos participou de todo processo de reestruturação do departamento de futebol do Palmeiras e tem 100% da minha confiança, por isso segue normalmente seu trabalho. Temos um dos melhores elencos do país e o técnico campeão brasileiro. Esta estrutura será mantida – avaliou o dirigente, ao GloboEsporte.com.
– O conceito de profissionalismo na gestão não sofrerá qualquer mudança. O Palmeiras passou por um processo de reconstrução e agora está se sedimentando. Por isso, não abro mão dos profissionais para condução desse processo – acrescentou o dirigente.
Depois de ser o primeiro vice-presidente nas duas gestões de Paulo Nobre, Galiotte assumiu o clube em dezembro do ano passado em um momento quase raro na vida política palmeirense – houve apenas uma chapa candidata na eleição presidencial.
Neste ano, o próprio dirigente também conviveu com críticas e alguns questionamentos. A filosofia de trabalho, porém, segue a mesma linha de raciocínio dos últimos anos, segundo palavras do próprio mandatário alviverde.
– O Palmeiras é um clube administrado com responsabilidade em todas suas áreas e assim seguirá. Estamos realizando grandes investimentos, honrando nossos compromissos, fizemos nosso patrimônio líquido ser positivo depois de oito anos e vamos zerar a dívida do clube até o fim de minha gestão. É administração responsável, com gestão profissional e processos modernos que permitem que isso aconteça – afirmou Maurício Galiotte, que tem mandato até o fim de 2018.
Cuca tem objetivo claro

Na Academia de Futebol, Mattos defendeu o trabalho de Cuca e reforçou a permanência do treinador, que tem contrato até o fim do ano que vem. O comandante garantiu que o Palmeiras irá se classificar para a próxima edição da Libertadores e que permanece no clube “até o fim”.
Com planejamento palmeirense para o presente e para o futuro, 2018 já é assunto entre comissão técnica e diretoria: o clube informou ao goleiro Fernando Prass a intenção de antecipar a discussão sobre a renovação e tem acerto verbal com o zagueiro Emerson Santos, do Botafogo.
Alvo de especulações sobre o seu futuro, o treinador afirmou que tem vontade de liderar a montagem do elenco, mas também disse que todo o trabalho será analisado no fim da temporada.
Vale lembrar que, mesmo com a conquista do título brasileiro, Cuca optou por sair, alegando problemas particulares, e, após cinco meses, estava de volta. Internamente, há a certeza de sequência da atual comissão técnica, pelo menos até o fim do Brasileirão.

Resta agora ao Palmeiras reconquistar dentro de campo a confiança da torcida e conseguir mais tranquilidade para cumprir o único objetivo restante da temporada.
O Verdão é o quarto colocado do Brasileirão, com 33 pontos. Essa posição garante a classificação direta para a Libertadores do ano que vem – o quarto e o quinto colocados disputam a primeira fase, em mata-mata. Mesmo com o empate contra o Vasco, o time palmeirense viu sua situação melhorar na classificação – a vantagem para a quinta colocação, hoje ocupada pelo Sport, agora é de quatro pontos.

Fonte: Globo.com

TRF4 nega pedido de soltura de João Vaccari Neto

Deixe um comentário

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), com sede em Porto Alegre, negou hoje (9) o pedido de soltura do ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), João Vaccari Neto. A decisão foi tomada por unanimidade de votos da 8ª Turma, presidida pelo desembargador João Pedro Gebran Neto.

No mês passado, o mesmo Tribunal absolveu Vaccari em segunda instância em um dos processos a que ele responde a partir da Operação Lava Jato. A soltura do ex-tesoureiro foi negada porque os desembargadores entenderam que há razões suficientes para a manutenção da prisão preventiva a partir de um segundo processo a que ele responde.

João Vaccari Neto está preso no Complexo Médico-Penal em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, desde 2015 — quando da deflagração da 12ª fase da Lava Jato.

Defesa

Após a decisão do tribunal, o advogado de Vaccari, Luiz Flávio Borges D’Urso, emitiu uma nota afirmando que a prisão preventiva é “desnecessária e injusta”.

“Nunca é demais lembrar, que a regra vigente em nossa lei e no nosso sistema criminal, é de que a prisão preventiva é exceção, devendo o acusado responder o seu processo em liberdade. Dessa forma, só pode ser admitida a prisão preventiva se houver elementos que a tornem indispensável, no interesse do processo, nada tendo esta prisão com a culpa do acusado”, diz o texto.

Fonte: Agencia Brasil

EVILMAR

Deixe um comentário

EVILMAR