Inicial

Galeria Flickr

Deixe um comentário

clica aqui
Nilton Filho//embedr.flickr.com/assets/client-code.js

Anúncios

Peru espera chegada de 20 mil venezuelanos nas próximas 48 horas

Deixe um comentário

A partir da meia-noite de sábado (25), o governo peruano impedirá a entrada de venezuelanos que não estejam de posse do passaporte, uma decisão tomada pelo Equador há quase uma semana. “O Equador implementou novas medidas, como fornecer ônibus aos cidadãos venezuelanos que se dirigem ao Peru. Com isso, o número estimado, de 17 mil pessoas, deve se elevar”, afirmou uma fonte do governo local, que pediu anonimato, à Agência Efe.

O governo da província de Pinchincha, onde fica a capital do Equador, Quito, decidiu criar um “corredor humanitário” e fretou seis ônibus para levar imigrantes venezuelanos da fronteira com a Colômbia até o território peruano até antes de sábado.

A decisão de permitir apenas a entrada de venezuelanos que tenham passaporte foi anunciada na última sexta-feira pelo primeiro-ministro do Peru, César Villanueva. O governo alegou razões de segurança, afirmando que o documento de identidade da Venezuela é facilmente falsificável e carece de dados básicos.

Além disso, o governo peruano antecipou, de 31 de dezembro para 31 de outubro, o prazo que os venezuelanos têm para solicitar a Permissão Temporária de Permanência (PTP), um documento que autoriza que residam e trabalhem legalmente no país.

As medidas restritivas foram tomadas poucos dias depois de a Polícia Nacional do Peru (PNP) ter informado que 15 membros de uma organização criminosa venezuelana tinham entrado no país usando documentos falsos. Um deles, após ser detido, revelou o esquema e confessou ter cometido seis assassinatos na Venezuela.

A União Venezuelana no Peru, uma organização não governamental (ONG) que defende os interesses dos imigrantes, enviou carta ao Ministério de Relações Exteriores para que o governo estude a possibilidade de crianças, mulheres grávidas, adolescentes, idosos e doentes crônicos cruzarem a fronteira sem precisar apresentar o passaporte.

Outra medida implementada pelas autoridades peruanas foi o Registro Fotográfico e Digital de Estrangeiros. O sistema foi inaugurado nesta quinta-feira (23) em Tumbes, na fronteira com o Equador.

O Posto de Verificação Migratória de Zarumilla, também em Tumbes, analisará de maneira aleatória os documentos trazidos pelos estrangeiros que entrarem no país, com exceção de equatorianos.

O chanceler do Peru, Néstor Popolizio, afirmou na quarta-feira que o governo não tem intenção de impedir a entrada dos venezuelanos, nem de deportar os imigrantes ilegais. “O Peru está aberto a receber os imigrantes de forma permanente. As medidas anunciadas nos últimos dias só buscam tornar a imigração ordenada e segura”, afirmou o ministro.

Mais de 400 mil venezuelanos cruzaram a fronteira peruana nos últimos anos, 80% deles portando passaporte. O país só perde para a Colômbia, que recebeu mais de 1 milhão de imigrantes que fugiram da crise provocada na Venezuela.

 

Fonte: Agencia Brasil

ONU pede apoio internacional a países que recebem venezuelanos

Deixe um comentário

onu123

Sede da ONU.

 

O alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, Filippo Grandi, e o diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações, Wiliam Lacy Swing, fizeram hoje (23) um apelo por mais apoio da comunidade internacional a países que estão recebendo número crescente de refugiados e imigrantes venezuelanos.

As entidades estimam que 2,3 milhões de venezuelanos vivam fora de seu país atualmente, sendo que mais de 1,6 milhão deixaram a Venezuela desde 2015. Desse total, 90% vivem em países da América do Sul. Por meio de comunicado, Grandi e Swing elogiaram nações na região por receberam “generosamente” cidadãos venezuelanos que chegam às fronteiras.anigif.gif

Ambas as autoridades, entretanto, expressaram preocupação diante do que chamaram de “acontecimentos recentes” envolvendo imigrantes venezuelanos, que incluem novas exigências de passaporte e alterações para entrada na fronteira no Peru e no Equador e mudanças nos pedidos de permanência temporária no Peru.

“Reconhecemos os desafios crescentes associados à chegada em larga escala de venezuelanos. Continua a ser de extrema importância que quaisquer novas medidas implementadas continuem a permitir que aqueles que necessitam de proteção internacional tenham acesso seguro e procurem asilo”, destacou Grandi.

“Louvamos os esforços já feitos por países receptores no intuito de fornecer segurança, apoio e assistência aos venezuelanos. Acreditamos que essas demonstrações de solidariedade continuarão no futuro”, completou, ao citar preocupação particular com os mais vulneráveis – meninos e meninas adolescentes, mulheres e crianças desacompanhadas, entre outros.

 

Fonte: Agencia Brasil

Mulheres assumem cargos de comando em facções do Rio e de São Paulo

Deixe um comentário

Mulheres começam a aparecer como responsáveis por cargos de comando de facções criminosas no Rio de Janeiro e em São Paulo. Entre as 13 pessoas presas hoje (22) na Operação Fractions (fração, em português), cinco são mulheres. As ações foram na zona norte do Rio, na Baixada Fluminense e em municípios do litoral

Uma das presas foi Marcela das Chagas, suspeita de agir como intermediária no fornecimento de armas e drogas entre as facções do Rio e de São Paulo. Também foram capturadas Thaysa Aparecida Campos da Conceição, a Magrinha, e Daiana da Silva Rodrigues – apontadas como responsáveis pelo abastecimento do tráfico de drogas em Bangu IV, no Complexo Penitenciário de Gericinó. Não foi divulgado o nome das duas outras presas.

A operação foi deflagrada por 250 policiais civis, comandada pela Delegacia de Combate às Drogas (DCD) do Rio, para cumprir 30 mandados de prisão.

O alvo foi o Complexo de São Carlos, nos morros do São Carlos, da Mineira e Querosene, além das comunidades Vila Aliança, Rola e Antares, todas na zona norte, além de comunidades em Itaboraí, Angra dos Reis, Macaé e Baixada Fluminense.

Investigações

As investigações da DCD concluíram que há uma disputa territorial entre as quadrilhas que dominam o tráfico nas comunidades do Complexo de São Carlos e da Rocinha, esta última na zona sul.

A guerra começou em setembro do ano passado, quando o traficante Rogerio Avelino da Silva, o Rogerio 157, então comandando o tráfico da Rocinha, aliou-se à maior facção criminosa de São Paulo.

A partir daí, os traficantes do Complexo de São Carlos iniciaram uma disputa para devolver o controle do tráfico na Rocinha à antiga facção, comandada por Antonio Bonfim Lopes, o Nem. A guerra levou ao fechamento dos acessos a São Conrado dias antes do início do Rock in Rio.

Atualmente, Nem e Rogério 157 estão presos na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia.

 

Fonte: Agencia Brasil

José Maria Marin é condenado a 4 anos de prisão nos Estados Unidos

Deixe um comentário

Ex-presidente da CBF José Maria Marin, do lado de fora do tribunal federal em Nova York
José Maria Marin (2º), que foi condenado por crimes cometidos quando presidiu a CBF – Nate Raymond/Reuters
A sentença foi lida pela juíza Pamela Chen, da Corte Federal do Broklyn, no distrito leste de Nova York. A juíza determinou ainda o confisco de US$ 3,35 milhões (R$ 13,63 milhões) – valor em poder de Marin – e aplicou multa de US$ 1,2 milhão (R$ 4,88 milhões). No início da sessão, Pamela havia sugerido uma pena de 7 anos de prisão, mas acabou acatando o pedido da defesa de Marin e reduziu a sentença.

Os advogados embasaram o pedido na idade avançada de Marin e no fato de a idade média de presos nos Estados Unidos ser 36 anos.

O ex-presidente da CBF foi julgado e considerado cultado por sete crimes, que ocorreram durante seu mandado em edições da Copa América, Taça da Libertadores da América e Copa do Brasil.

Segundo a imprensa brasileira que acompanhou o julgamento no local, Marin chorou muito ao receber o veredicto, acompanhado da esposa Neusa Marin, de 79 anos.

Atualmente, Marin está detido em uma penitenciária no bairro nova-iorquino do Brooklyn, mas a defesa pediu sua transferência, alegando más condições de tratamento aos detentos. Os advogados querem a transferência dele para uma prisão federal na Pensilvânia.

No julgamento, os defensores de Marin destacaram que ele é idoso e que, por isso, não deve ser tratado como prisioneiro comum.

Em dezembro do ano passado, ele já havia sido condenado pelos crimes da sentença de hoje. No julgamento também foi condenado o ex-presidente da Conmebol Juan Angel Napout, por fraude bancária e organização criminosa.

Ambos foram enviados para a prisão no Broklyn em dezembro do ano passado. A acusação afirmou que Marin recebeu U$ 6,5 milhões em propina de empresas de marketing esportivos, durante negociaçao de contratos de comerciais dos campeonatos na América do Sul.

Marin foi extraditado em maio de 2015 para os Estados Unidos, após a investigação ter se tornado pública.

Older Entries