A beleza e os mistérios da Tower of London

Muitas pessoas escolhem a Inglaterra pelo contexto histórico geral, mas não pela individualidade de cada obra. Hoje, como indicação para o “turista novato” e para aqueles que sonham com uma viagem à Terra da Rainha, conheçam a Torre de Londres.

Originalmente, em inglês, a chamada Tower of London foi construída em 1078, às margens do Rio Tâmisa. Ela já foi a Mostra dos Animais do Reino, a Casa da Moeda e também uma prisão, onde ocorreram muitas torturas e execuções. Atualmente, 20 torres estão erguidas, em vez de apenas uma.

A Torre de Londres, por mais de 900 anos, foi a representação do terror, pois todos que ofendiam a monarquia eram levados para lá. As péssimas condições de vida foram aplicadas à maioria dos presos, assim como as ações torturantes dos soldados ingleses que serviam à Coroa. Muitos passavam por grandes sofrimentos até seguirem para Tower Hill, onde eram executados. Rainha consorte Ana Bolena, rainha Jane Grey, barão William Hastings e o pensador e escritor Thomas More são exemplos de nomes de destaque que foram aniquilados.

Além das histórias assombrosas e tristes, a Tower of London reserva muitas aventuras. Quem visita tem a oportunidade de ver as Joias da Coroa, dentre as quais estão espadas e cetros de valor incalculável. A Torre Branca, edifício central e o mais antigo da Torre de Londres também está disponível. E os corvos continuam lá. Segundo a lenda, eles não podem desaparecer, pois a torre cairá e, com ela, o reino. Portanto, eles são protegidos pelos guardas e têm suas asas aparadas para impedir possíveis fugas. O Palácio Medieval, com toda sua beleza e luxo, e a Capela de São Pedro, onde restos dos prisioneiros mais famosos que foram executados são conservados, continuam abertos ao público.

É de grande importância que o turista tenha uma boa organização com datas e horários. Localizada na St Katharine’s & Wapping, EC3N 4AB, em Londres, do dia 1 de novembro a 28 de fevereiro, a obra fica disponível de terça a sábado, das 9h às 16h30; domingo e segunda, das 10h às 16h30. De 1 de março a 31 de outubro, de terça a sábado, de 9h às 17h30; e domingo e segunda, de 10h às 17h30. Os prédios da parte interior fecham 30 minutos antes da última entrada. Nos dias 24, 25 e 26 de dezembro, assim como no primeiro dia de janeiro, a Torre permanece fechada. No site Gety Your Guide, o ingresso está custando £ 24,75 (R$ 123, aproximadamente, na cotação atual).

Fontes: Mapa de Londres, Tudo Sobre Londres e Londres Para Principiantes.

Anúncios

1964: O Brasil entre armas e livros, de Brasil Paralelo

O filme 1964: O Brasil entre armas e livros, produzido pelo Brasil Paralelo, resgatou a história, os verdadeiros acontecimentos e o sentimento de uma população perdida no tempo.

O documentário esclarece com precisão as principais motivações para a construção do Muro de Berlim, o qual serviu de barreira entre a República Federal da Alemanha (Ocidente) e a República Democrática Alemã (Oriente).

Foto: Divulgação

É de suma importância ressaltar que o principal alvo do obstáculo era impedir que pessoas do lado oriental (regime comunista fechado) fugissem para o ocidental, que possuía o modelo capitalista de mercado. Sendo assim, qualquer revolta contra Moscou era barrada pelo exército vermelho por meio de assassinatos e torturas.

Fidel Castro, mantendo aliança com a União Soviética, tornou Cuba o primeiro país da América Latina entregue nas mãos da Rússia. O acontecimento ligou o alerta de alguns países vizinhos, incluindo o Brasil. Em meio ao caos que se instalava, a frase que guiava os “revolucionários” era expressa por Lenin: “a única moral que os comunistas reconhecem é aquela que serve aos próprios interesses”. Neste viés, a propaganda e a desinformação foram usadas como estratégia para repetir mentiras e criar novas realidades.

Grandes nomes do Brasil como Prestes e Oscar Niemayer, responsável pelo modelo original de Brasília, foram muito abordados na produção, levando-nos a entender que até a construção da atual capital do país possui linhas comunistas responsáveis pelo afastamento do povo da política e das decisões do Congresso Nacional, protegendo autoridades da justiça e indignação popular.

Toda a explanação dos governos de Jânio Quadros e João Goulart foi de extrema importância para que entendamos como foi o desenvolvimento das linhas secretas, da inflação, dos projetos de ditaduras comunistas, das manifestações populares em prol da democracia etc. Digo que o filme abordou o ápice dos atentados comunistas no Brasil e a necessidade militar de intervenção. Alguns erros dos generais foram expostos, e nada ficou oculto. Vale a pena assistir!

 

Confira também a indicação de Chesapeake Shores e A Reforma – o que você precisa saber e por quê.

Fonte: Raiany Kelly

A Reforma – o que você precisa saber e por quê

A Reforma – o que você precisa saber e por quê é um livro de conteúdo cristão que aborda a Reforma Protestante, a qual é simbolizada pela divulgação das 95 teses de Martinho Lutero, em 31 de outubro de 1517, na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, na Alemanha. O livro é de autoria de John Stott e Michael Reeves, e a edição é pela Ultimato.

Imagem do exemplar. Foto: Raiany Kelly

A obra tem uma belíssima linha do tempo da Reforma, onde o leitor pode encontrar nomes importantíssimos para o movimento cristão que mudou a caminhada da Igreja como, por exemplo, John Knox e João Calvino. Na parte 1, Michael Reeves explana a história e a importância da Reforma, enquanto John Stott, na parte 2, reforça a manutenção da fé e a necessidade de passa-la adiante.

Nos apêndices, encontraremos, por Alan Purser, “a oração de Jesus por unidade em sua igreja”. Para abrilhantar o fechamento do livro, as 95 teses de Lutero estão expostas. Perguntas para estudo e reflexão foram anexadas, assim como leituras recomendadas para os cristãos que querem obter mais conhecimento e serem fortalecidos na caminhada.

Gosta de séries e filmes? Confira a indicação de Chesapeake Shores e de 1964: O Brasil entre armas e livros.

Fonte: Raiany Kelly

Chesapeake Shores chegou à quarta temporada

Chesapeake Shores é uma série americana baseada na obra de Sherryl Woods, e está na quarta temporada, que foi divulgada recentemente pela Netflix. Os episódios retratam o dia a dia de uma família com boas condições financeiras, mas que enfrenta dilemas sociais e internos como qualquer outra. O conteúdo dramático da produção televisiva comove aqueles que a acompanham. O romance também está presente, e em boas doses.

2163914
Abby O’Brien e Trace Riley. Foto: Reprodução / Internet

“Abby O’Brien (Meghan Ory) volta para sua cidade natal de Chesapeake Shores, em Maryland, para ajudar sua irmã Jess (Laci J. Mailey) com a pousada Eagle Point. No entanto, além dos negócios não irem bem, o retorno da jovem ao local é marcado por reencontros marcantes e fantasmas do passado.” – Sinopse divulgada no Adoro Cinema.

Gosta de livros e filmes? Confira a indicação de A Reforma – o que você precisa saber e por quê e de 1964: O Brasil entre armas e livros.

Fonte: Raiany Kelly

Câmara aprova projeto que amplia posse de arma em propriedade rural

O Plenário da Câmara aprovou na noite desta quarta-feira (21), por 320 votos a 61, o Projeto de Lei 3.715/19, que autoriza a posse de arma em toda a extensão de uma propriedade rural. A medida garante ao dono de uma fazenda, por exemplo, o direito de andar com uma arma de fogo em qualquer parte de sua propriedade. Atualmente, a posse só é permitida na sede.

Durante a votação, os deputados rejeitaram uma emenda que permitiria incluir no projeto de lei um dispositivo que alteraria o Estatuto do Desarmamento para garantir porte de arma ao proprietário rural.

323232323232323

A segurança no campo foi o elemento central durante as discussões do projeto da proposta. Os defensores da proposta argumentaram que os agricultores precisam ter condições de se defender da criminalidade, enquanto os que se posicionavam contra o PL diziam que a medida poderia agravar a violência no campo.

O relator do projeto, deputado Afonso Hamm (PP-RS), disse a proposta tem o apoio do setor rural e que vai beneficiar os pequenos proprietários. “A arma, que nas mãos dos bandidos é uma ameaça à sociedade, nas mãos do cidadão de bem é garantia da paz social, porque ele vai usá-la em defesa da sua vida e de seus familiares”, disse.

O deputado Jorge Solla (PT-BA) disse que a posse estendida vai fomentar ainda mais a violência no campo – seja contra movimentos sociais, índios ou trabalhadores. “Só quem tem a ganhar são as milícias, são os fabricantes de arma, são os que promovem a violência no campo”, disse.

O projeto segue para sanção presidencial.

* Com informações da Agência Câmara

Fonte: Agência Brasil