Para prova – Unidade 1

Baixe o arquivo ‘jornalismo e internet’ produzido pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e estude, entre outros aspectos, as três fases do Jornalismo na Internet.

Para a história da internet, e perfil do comunicador on-line leia a apostila (livro Jornalismo Digital, da Pollyana Ferrari) páginas 14 à 18 e 39 à 44.

Você também pode assistir a história da internet neste vídeo do Canal TecTudo

Ou no link: https://www.tecmundo.com.br/mercado/129569-historia-origem-da-internet-video.htm

Em texto: 

Preparando o terreno

Muito antes dos computadores serem inventados, cientistas e escritores já imaginavam uma forma instantânea de comunicação entre pessoas distantes. O telégrafo começou esse caminho, e o primeiro cabo transatlântico desse meio de comunicação foi instalado em 1858.

Os pioneiros

Estamos na década de 1950 nos Estados Unidos. É época da Guerra Fria, o confronto ideológico e científico entre o bloco representado pelos norte-americanos e o liderado pela União Soviética. Um avanço antes do inimigo era uma grande vitória, como a corrida espacial. Por isso, o presidente Eisenhower cria em 58 a ARPA, Agência de Projetos Avançados de Pesquisa. Anos depois, ela ganhou um D, de Defesa, e virou a DARPA. A agência colaborava com acadêmicos e industriais pra desenvolver tecnologias em vários setores, não só o militar.

Um dos pioneiros da parte de informática da ARPA foi J.C.R. Licklider, do Instituto de Tecnologia do Massachussetts, o MIT, e recrutado depois de teorizar sobre uma rede galáctica de computadores em que você podia acessar qualquer dado. Ele plantou na agência a sementinha de tudo isso.

Outro avanço importante foi a criação do sistema de comutação de pacotes, um método de troca de dados entre máquinas. As unidades de informação, ou pacotes, são enviados um por um através de uma rede. O sistema era mais rápido que canais por circuitos e suportava destinos diferentes, não só de um ponto ao outro. Esse estudo foi feito por grupos em paralelo, como o de Paul Baran, do RAND Institute, Donald Davies e Roger Scantlebury do National Physical Laboratory no Reino Unido e Lawrence Roberts, que era da ARPA.

Tem também o estudo e a implantação de nós, os pontos de intersecção de informações. Eles são pontes entre máquinas que se comunicam entre si e também funcionam como um checkpoint, pra que a informação não se perca durante o trajeto e aí a transmissão toda tenha que recomeçar. As ligações eram todas feitas na base do cabo, e bases militares e institutos de pesquisa foram os primeiros porque já tinham essa estrutura.
Nasce a ARPANET

Em fevereiro de 1966, a rede da ARPA, ou ARPANET, começa a ser discutida. O próximo passo foi desenvolver os IMPs, interfaces de processamento de mensagens. São os nós intermediários, que conectariam os pontos da rede. Dá pra chamar eles de avôs dos roteadores. Mas era tudo tão novo que a primeira conexão em rede só foi estabelecida em 29 de outubro de 1969. Ela aconteceu entre a UCLA, Universidade da Califórnia em Los Angeles, e o Stanford Research Institute, a quase 650 quilômetros.

A primeira mensagem trocada seria login e deu meio certo. As primeiras duas primeiras letras foram identificadas do outro lado, mas aí o sistema saiu do ar. Pois é: essa é a data da primeira conexão e também a primeira queda. E a primeira palavra transmitida foi… “lo”.

A primeira rede de nós da ARPANET ficou pronta no final desse ano e já funcionava direitinho, conectando entrei si os dois pontos citados, a Universidade californiana de Santa Barbara e a Escola de Computação da Universidade de Utah, um pouco mais longe, em Salt Lake City. A ARPANET é o grande antepassado do que chamamos de internet.

E apesar do pontapé inicial ser militar, o impulso pro desenvolvimento de toda essa tecnologia foi a educação. Rola uma lenda de que a ARPANET era uma forma de guardar dados no caso de ataque nuclear, mas a vontade maior mesmo era a dos cientistas se comunicarem e encurtarem distâncias.
Expandindo e evoluindo

Em 71, já são 15 pontos na rede, parte disso possível por causa do desenvolvimento do NCP. O Network Control Protocol foi o primeiro protocolo de servidor da ARPANET e definia todo o procedimento de conexão entre dois pontos. Foi ele que permitiu uma interação mais complexa, como troca de arquivos e uso remoto de máquinas distantes.

Em outubro de 72 é feita a primeira demonstração pública da ARPANET por Robert Kahn em um evento de computação. Nesse ano é inventado o email, uma forma mais fácil de troca de mensagens que a gente já abordou no canal. Nessa época, já eram 29 pontos conectados.

É nesse ano que vemos o primeiro link transatlântico, entre a ARPANET e o sistema norueguês NORSAR, via satélite. Logo depois, veio uma conexão com Londres. É a partir daí que começa o pensamento de que o mundo precisava de uma rede de arquitetura aberta. Faz todo o sentido, porque se não a gente só teria vários pequenos clubinhos conectados, mas não entre si e cada um com arquiteturas e protocolos diferentes. Daria um trabalhão ligar tudo junto.

Só que tinha um problema: o protocolo NCP era insuficiente pra essa troca aberta de pacotes entre diferentes redes. Foi aí que Vint Cerf e Robert Kahn começam a trabalhar no substituto.

Outro projeto paralelo é o da Ethernet, desenvolvida no lendário Xerox Parc em 73. Ela é hoje uma das camadas de ligação de dados, e começou como um conjunto de definições de cabos e sinais elétricos pra conexões locais. O engenheiro Bob Metcalfe saiu da Xerox no fim da década pra abrir um consórcio e convencer as empresas a usar o padrão. Bom, ele conseguiu.
Em 1975, a ARPANET é considerada operacional e já acumula 57 máquinas. É nesse ano também que uma agência de defesa dos Estados Unidos assume o controle do projeto. Note como essa rede ainda não tem um pensamento comercial, só militar e científico. Conversas pessoais não eram incentivadas, mas também não eram proibidas.
A revolução do TCP/IP

Aí nasce o TCP/IP, ou Transmission Control Protocol barra Internet Protocol. Ele foi e ainda é o padrão de comunicação dos aparelhos, um conjunto de camadas que estabelecem essa ligação sem precisar reconstruir todas as redes formadas até então.
O IP é a camada do endereço virtual dos remetentes e destinatários dos pacotes. Eu sei que isso é tudo é mais complexo, mas o nosso assunto aqui é outro.

Em 1º de janeiro de 1983, a ARPANET oficialmente muda o protocolo do NCP pro TCP/IP em outro marco-zero da internet. E os responsáveis Robert Kahn e Vint Cerf colocam seus nomes na história da tecnologia de vez. No ano seguinte, a rede é separada em duas. Parte pra comunicação e troca de arquivos militares, a MILNET, e a parte civil e científica ainda chamada de ARPANET, mas sem alguns nós originais. Tava claro que sozinha ela não iria sobreviver.
Juntando tudo

Em 1985, a internet já estava mais estabelecida como uma tecnologia de comunicação entre pesquisadores e desenvolvedores, mas o nome só começou a ser usado no fim da década, quando as NETs começam a formar uma só estrutura. Aos poucos, ela sairia das universidades e começaria a ser adotada pelo mundo corporativo e por último pelo público consumidor.

Aí a gente vê uma explosão de pequenas redes que já tinham uma comunidade menor focada em algo. É o caso da CSNet, que unia grupos de pesquisa da computação e foi uma das primeiras alternativas científicas. Ou da Usenet, que era uma precursora dos fóruns de discussão ou grupos de notícia e foi criada em 1979.

E a Bitnet, criada em 81 pra email e transferência de arquivos e que conectou mais de 2500 universidades em todo o mundo. Outra famosa é a NSFNET, da mesma fundação de ciência dos Estados Unidos que cuidava da CSNet, pra facilitar o acesso de pesquisadores a supercomputadores e bancos de dados. Ela foi uma das maiores defensoras do padrão proposto pela ARPANET e ajudou a propagar a instalação de servidores. Isso culmina na formação de uma espinha dorsal ou backbone da NSFNET, que era de 56 kbps.

E claro que a gente fala mais dos Estados Unidos aqui, mas vários países mantinham redes internas parecidas e foram expandido pro TCP/IP e depois navegando usando o padrão WWW com o tempo. Tem o MINITEL da França, por exemplo, que ficou no ar até 2012.

Os anos 80 servem pra expansão da ainda jovem internet e do fortalecimento da infraestrutura de conexões entre nós, especialmente a melhoria dos gateways e futuros roteadores. Na primeira metade da década, o computador pessoal nasce em definitivo com o IBM PC e o Macintosh. E outros protocolos passam a ser adotados pra tarefas diferentes.

Muita gente aí usou o File Transfer Protocol, o bom e velho FTP, pra fazer uma versão rudimentar de downloads. A tecnologia do DNS, que é uma forma de traduzir um domínio em um endereço IP, também surgiu nos anos 80 e foi adotada aos poucos.

Entre 87 e 91, a internet é liberada pra uso comercial nos Estados Unidos substituindo os backbones da ARPANET e da NSFNET, com provedores privados e novos pontos de acesso de rede fora das universidades e dos meios militares. Só que são poucos os interessados e os que enxergam as possibilidades. Faltava alguma coisa pra facilitar e popularizar a navegação.
A revolução do WWW

O próximo ponto da nossa viagem é o CERN, o laboratório de pesquisa nuclear na Europa. Em 1989, Timothy Berners-Lee, ou Tim, queria melhorar a troca de documentos entre usuários junto com o engenheiro Robert Cailliau. Ele imagina um sistema pra obter informações das conexões entre todos os equipamentos conectados e trocar arquivos de forma mais fácil.

A solução encontrada foi explorar uma tecnologia já existente, mas rudimentar, chamada hipertexto. Pois é, aquelas palavras ou imagens clicáveis conectadas que levam você a outro ponto da internet quando solicitado. O chefe de Tim não ficou muito animado e achou a ideia vaga, então o projeto teve que amadurecer.

Se a notícia foi boa? Em 1990, saíram “só” esses três avanços: as URLs, ou endereços únicos pra identificar a fonte de páginas na web. O HTTP, ou protocolo de transferência de hipertexto, que é a forma de comunicação base, e o HTML, que é a formatação escolhida pra disposição de conteúdos. Nascia aí a World Wide Web, ou WWW, nome criado por ele e que a gente traduziu pra rede mundial de computadores.

O Tim imaginava um espaço decentralizado, pra você não precisar de permissão pra postar, muito menos um nó central que podia comprometer tudo se caísse. Ele também já acreditava em neutralidade da rede, com você pagando por um serviço sem discriminação de qualidade. A web ainda seria universal e com códigos amigáveis pra que não ficasse só na mão de poucos. A gente sabe que na prática a internet não é lá essas mil maravilhas, mas comparado com antes, realmente tudo foi democratizado e o ambiente deu voz pra muita gente.
No pacote, o Tim criou o primeiro editor e navegador, o WorldWideWeb tudo junto. Ele saiu do CERN em 94 pra fundar a World Wide Web Foundation e ajudar a desenvolver e espalhar os padrões da internet aberta. Ele é o chefe por lá até hoje. E o seu último grande feito no laboratório foi espalhar os protocolos HTTP e a web com um código liberado dispensando o pagamento de royalties. Isso facilitou a difusão dessa tecnologia.

Um ano antes surge o Mosaic, primeiro navegador com informações gráficas, não só em texto. Ele evoluiu pro Netscape Navigator e o resto é história. Muita coisa que a gente usa hoje em dia que começou nessa década: buscadores, feed RSS, o amado e odiado Flash e por aí vai. Para você ter uma ideia de algumas novidades, o IRC foi criado em 88, o ICQ saiu em 96 e o Napster em 99. Várias dessas tecnologias rendem histórias separadas que ainda vão sair por aqui.
E olha como a gente evoluiu. Das conexões por cabos entre universidades, passamos pra redes maiores que usavam um só idioma de comunicação. Depois, veio um espaço mundial e padronizado de troca de conteúdos, com uma conexão discada na rede de telefonia. Muita gente começou a usar a internet aí, com aquele barulho clássico que basicamente servia pra testar a linha, indicar a velocidade possível da internet e finalmente estabelecer o sinal da transmissão.

Essa conexão ficou mais rápida e virou banda larga. Hoje a gente quase não imagina a nossa vida sem a transmissão de sinal sem fio, que é o WiFi, e também os dados móveis sem precisar de um ponto de acesso, que é o 3G, 4G e por aí vai. Estamos até com problemas pelo excesso de tráfego: o padrão IPV4 está congestionado de endereços e a migração para o IPV6 é lenta, mas vai acontecer.

Anúncios

Atividade final – Unidade 2

Elabore uma matéria sobre um ponto turístico do Ceará com, no mínimo, 40 linhas contendo:

+ Quinze fotos legendas e publicadas no Flickr. O link do álbum (slideshow) deve ser publicado no post da matéria, ao final. Duas fotos devem ilustrar a matéria;
+ Um vídeo com três minutos, no mínimo, sobre o assunto abordado na matéria.
Sugestão de conteúdo: uma entrevista, ou panorâmica do local citado no texto.
O vídeo deve ser editado com uma apresentações do conteúdo no início, transições com efeito, legendas no decorrer, e créditos ao final.
O vídeo deve ser publicado no youtube e o endereço colado no post da matéria.

Sugestão para a matéria: reportagem de um ponto turístico de Fortaleza, espécie de guia para turistas

Exemplos:

https://blogdajor72.wordpress.com/2016/06/14/projeto-fenix-construindo-caminhos/

https://blogdajor72.wordpress.com/2017/06/12/bem-vindos-a-fortaleza-quase-tres-seculos-de-historia-e-um-ritmo-que-contagia-todo-o-pais/

https://blogdajor72.wordpress.com/2016/12/11/respiracao-na-agua-reedita-memorias-do-nascimento-e-proporciona-relacionamentos-mais-saudaveis/

https://blogdajor72.wordpress.com/2016/06/16/exercicio-final-segunda-fonte-de-renda-tao-desejada-em-andamento/

https://blogdajor72.wordpress.com/2016/06/14/zoologico-de-fortaleza-atrai-centenas-de-pessoas-na-primeira-semana-apos-reabertura/

https://blogdajor72.wordpress.com/2016/06/15/mulheres-cearenses-vao-as-ruas-protestarem-contra-a-cultura-do-estupro/

Data da entrega (apresentações em sala de aula): 7 de dezembro

Cambistas anunciam entrada por até R$ 800 no último dia de Rock in Rio (Nicole)

Mais de 100 mil pessoas lotam a arena do Rock in Rio no último dia de apresentações. ( Foto: André Lima / Agência O Globo)

Com a capacidade máxima para 100 mil pessoas, a arena do Rock in Rio ficou pequena para a quantidade de pessoas que queriam estar presentes na última noite do evento (24). Muita gente que já veio, decidiu voltar à Cidade do Rock e implorou por ingressos que estavam sem dono. Cambistas aproveitaram a oportunidade para vender entradas por até R$ 800 perto do Parque olímpico.

O encerramento do Rock in Rio foi marcada por grandes nomes do rock nacional e internacional. A festa ficou por conta das bandas The Offspring, Thirty Seconds To Mars, Red Hot Chili Peppers e a brasileira Capital Inicial.

Apesar das apresentações internacionais, a grande atração da noite foi a banda Capital Inicial. Cantando sucessos que fizeram parte da história de uma geração como os hits Independência, 4x Você, Depois da meia noite, Fátima, Música urbana e Natasha , o grupo brasiliense inflamou o palco do Rock in Rio com seu discurso político.

anigif

 

“É surreal, como se estivéssemos numa guerra civil, com tropas na rua”, comentou o cantor sobre a crise da segurança no Rio de Janeiro. A plateia entoou “Fora Temer” e ele devolveu: “Fora Temer, fora todos, uma longa lista. Os cidadãos cariocas vão prevalecer. As eleições estão chegando, é hora de escolher outras pessoas.”

Dinho Ouro Preto entoa coro contra a política do Brasil no último dia de apresentações do Rock in Rio. (Foto: Alexandre Durão/G1)

O vocalista Dinho Ouro Preto dedicou a música “Que País é esse?”, da Legião Urbana, para o presidente, além de reger um coro contra Temer. “Estou convencido cada vez mais de duas coisas: o poder corrompe e o Brasil é maior e melhor que seus representantes. Essa aqui é pro Michel Temer”, completou o vocalista.

Em sua quinta participação no evento, Dinho Ouro Preto, Fê Lemos, Flávio Lemos e Yves Passarell  tiveram um dos maiores públicos entre os nacionais que o antecederam no Palco Mundo: Ivete Sangalo, Skank, Frejat, Scalene, Jota Quest e Titãs.

Tamanho sucesso fez com o Capital Inicial fosse a banda do 7º dias mais comentada no facebook. . Entre os artistas que se apresentaram no festival neste domingo, o grupo liderou o ranking, seguido de Red Hot Chili Pepper, The Offspring, 30 Seconds to Mars e Sepultura.

Fontes: O Povo, Estadão, G1

Terremoto no México deixa inúmeros danos – Empacotamento (Ton)

Equipes do exército mexicano continuam as buscas por sobreviventes, mesmo que seja remota a possibilidade de encontrar alguém com vida.

GIFMÉXICO

Já se passaram 72 horas desde que a terra tremeu violentamente no México. Mesmo assim os danos causados pelo terremoto ainda são presentes. Dados oficiais divulgados pela Coordenadoria Nacional de Proteção Civil apontam que o número de vítimas fatais do terremoto que atingiu o México na semana passada chegou a 324 pessoas, mas esse número pode ser maior.

O terremoto de magnitude 7,1 na escala Richter, sendo um dos mais fortes já enfrentados pelos mexicanos nos últimos anos, atingiu a região central do México , e prédios desabaram com a força do tremor. Equipes de resgate ainda trabalham na busca de vítimas, mas as esperanças de encontrar pessoas com vida é mínima neste momento.

Ontem (25), a terra voltou a tremer mais uma vez. Segundo dados do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o sismo atingiu 5,7 graus na escala Richter e teve o epicentro em Paradéon, no estado de Chiapaspor.

A consultora de mercado Lucía Zamora, de 36 anos, estava trabalhando quando, em questão de poucos minutos, viu-se sob os escombros do edifício de seis andares, no bairro Roma da Cidade do México, onde passou mais de 30 horas presa em um pequeno espaço. “O prédio começou a tremer, então peguei meu celular e fui para a recepção. Um colega, Isaac, nos orientava a pegar a escada de emergência, mas não consegui chegar, estava a meio caminho quando o teto desabou sobre nós.” relata.

A vítima ainda recebeu orientações de um amigo para descer pela escada de emergência do prédio, porém, antes que ela conseguisse, o teto desabou.

Ela afirma ainda que quando tudo caiu conseguia ouvir gritos, choro, e então, começou a rezar. A distância entre o rosto de Lucía e um piso de cerâmica era de apenas um palmo. Na escuridão, a mexicana diz ter perdido a noção do tempo e de espaço.

Quando uma região é atingida por um forte terremoto é normal que ocorram as chamadas “réplicas”, que normalmente são de baixa intensidade, mas que podem ser quase tão fortes quanto o tremor inicial. Os trabalhos de busca e resgate de sobreviventes foram retomados após as autoridades descartarem o perigo de um novo tremor.

Fonte: Terra, O Globo, Último Segundo – IG

Padre Fábio de Melo faz piada sobre notícia do Fim do Mundo através do Twitter (Nicole)

Conhecido por suas publicações divertidas nas redes sociais, o padre Fábio de Melo mais uma vez mostrou que a vida eclesiástica não precisa ser sempre sisuda.

Na noite de hoje (20), o religioso fez uma publicação espirituosa sobre a divulgação, na revista Veja.com, de uma Teoria do fim do mundo que se concretizaria, supostamente, no próximo sábado.

Em seu tweet ele escreveu: “Alguém sabe dizer se será em horário comercial?”. A postagem resultou em mais de 400 comentários bem humorados, mais de 2.900 retweets e mais de 6.700 curtidas só nas primeiras 6 horas de publicação.

//platform.twitter.com/widgets.js

Publicada no perfil da Veja.com com o título ‘Fim do mundo vai ocorrer no próximo sábado, diz teoria’, o tweet traz a notícia do numerólogo David Meade, autor do livro Planeta X, que prevê a colisão de um enorme planeta misterioso chamado Nibiru com a Terra.

A mesma teoria já havia sido divulgada em 2012, porém um cientista da NASA desmentiu a suposição, alegando ser “ridícula” uma declaração sobre “um planeta que está, ao mesmo tempo, próximo e invisível”.

Baseando suas evidências em versos e códigos numerológicos da Bíblia centrados no número 33 – exatamente o número de dias entre o eclipse solar do dia 21 de agosto, Meade continua a afirmar que o Nibiru estaria vindo diretamente da fronteira com o sistema solar e irá se chocar com a Terra neste fim de semana.

Verdade ou não, a notícia chamou a atenção de inúmeras pessoas do campo científico e fora dele, como foi o caso do Padre Fábio de Melo.

Com um humor irreverente, sua figura arrasta uma multidão de fãs nas redes sociais, principalmente no Twitter e no Snapchat. Com mais de 3 milhões de seguidores, ele se tornou um ícone da era digital.

Em uma entrevista concedida a revista iBahia no ano passado, o clérigo comentou sobre a sua atuação nos veículos de mídias sociais.

“As redes sociais nos proporcionam encontros, alguns muito inusitados com pessoas que jamais parariam para nos ouvir. É a oportunidade que temos de fazer amizades, criar vínculos, de falar com leveza, do dia a dia, é isso que tenho aproveitado. Todas as pessoas que me acompanham hoje, me acompanham como padre, mas também como ser humano. E no dia a dia divide tudo que é parte da minha história”.

Apesar do sucesso que faz, existem muitas críticas para seu comportamento despojado. Frente à isso ele as aceita como parte da vida e segue em frente com seu jeito divertido e irreverente.

Exercício de títulos – Nicole

FUNÇÃO INFORMATIVA

SEGUNDA ETAPA DA VACINAÇÃO CONTRA AFTOSA COMEÇA EM SEIS ESTADOS
Os estado de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Roraima receberão as vacinas ainda este mês. Enquanto 16 unidades serão atendidas no mês de Outubro: Acre, Amapá, Amazonas, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, dentre outros.

WWF-BRASIL REALIZA ATO DE PROTESTO AMBIENTAL NO CRISTO REDENTOR
Uma torneira jogando água num balde inflável de quase 15 metros de altura foi montada aos pés da estátua do Cristo Redentor para chamar a atenção da sociedade e dos governantes em defesa dos mananciais, das florestas e da promoção do acesso à água potável .

CORREIOS INICIA HOJE NOVO SERVIÇO PARA DEFICIENTES VISUAIS
Deficientes visuais de todo o país poderão enviar e receber suas correspondências na linguagem desenvolvida especialmente para elas, através da transcrição gratuita de correspondências do Braille para a escrita comum e vice-versa.

AUSTRALIANA MORRE AO SUBIR O MONTE EVEREST
A professora, de 34 anos, Maria Strydom queria completar a missão para provar que “veganos não são fracos”, mas sentiu-se mal na descida do cume com Robert Gropel, seu marido, e não resistiu às complicações respiratórias.

VASCO COMEMORA O TÍTULO DO SEGUNDO TURNO DO CAMPEONATO CARIOCA
Muito criticado pelo fraco começo de temporada e pela precoce eliminação na Copa do Brasil, os comandados do técnico Milton Mendes queriam dar uma resposta à torcida. Em jogo único disputado no estádio do Engenhão, no Rio, o Vasco venceu por 2 a 0.

AUMENTO NOS PREÇOS DOS ALIMENTOS PODEM COLOCAR MILHÕES DE PESSOAS EM SITUAÇÃO DE POBREZA EXTREMA
Dados apresentados nesta quinta-feira (14) pelo Banco Mundial apontam um aumento de 10% . De acordo com o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, os preços dos alimentos já estão 36% mais altos que há um ano e um novo aumento colocaria mais 10 milhões de pessoas em situação de pobreza extrema.


FUNÇÃO IDENTIFICATIVA

“UM POVO E UMA FORÇA MOSTRARÃO AO MUNDO DO QUE SÃO CAPAZES”, AFIRMA NICOLAS MADURO
O presidente boliviano advertiu que se a ameaça sobre sua vida se concretizar acelerará a revolução bolivariana.

RIO DE JANEIRO VAI SEDIAR A CONFERÊNCIA REGIONAL MINISTRAL DA AMÉRICA LATINA E CARIBE
De 8 a 10 de junho, o encontro é um preparatório para a segunda fase da Cúpula Mundial da Sociedade da Informação. Além do Brasil, mais 32 países participam do evento.

POLÍCIA FEDERAL PRENDE IRMÃO E SÓCIO DE JOESLEY BATISTA
A prisão de Wesley Batista é preventiva. A operação faz parte da Operação Tendão de Aquiles que apura o uso de informações privilegiadas do grupo do J&F para lucrar no mercado financeiro.


FUNÇÃO APELATIVA

Trabalho final – Parcial Unidade 3

Para JOR 61 e 62.

Elabore uma matéria, tema livre, de, no mínimo, 30 linhas contendo:
+ Oito fotos legendas e publicadas no Flickr. O link do álbum deve publicado no post da matéria
+ Um vídeo de dois minutos, no mínimo, sobre o assunto abordado na matéria.
Sugestão de conteúdo: uma entrevista, ou panorâmica do local citado no texto.
O vídeo deve ser editado com uma apresentação do conteúdo no início, legendas, e créditos ao final.
O vídeo deve ser publicado no youtube e o endereço colado no post da matéria.

Sugestão: reportagem de um ponto turístico de Fortaleza, espécie de guia para turistas