Zé Ramalho – cronologia biográfica do artista

2009: O CD/DVD “Zé Ramalho canta Bob Dylan” recebeu indicação ao Grammy Latino, na categoria melhor disco de rock.

2008: Grava o cd/dvd “Zé Ramalho canta Bob Dylan”, trazendo versões de sucessos do ídolo americano. Zé Ramalho apresenta uma fórmula musical de sua criação: MPB + POP + NORDESTE, aplicada às canções que permearam sua juventude, sonhos e desilusões. O resultado é magnífico!!!

2007:Grava o cd/dvd “Parceria dos viajantes” com sonoridade pop+mpb, cantando, tocando e compondo com diversos amigos, dentre eles Daniela Mercury, Banda Calipso, Paulo Ricardo, Pitty, Zélia Duncan, etc. Tudo sob a produção de Robertinho de Recife. O disco é indicado a melhor disco de MPB no Grammy Latino. 30 anos após o primeiro disco, Zé Ramalho não pára de se reinventar e renovar as conexões musicais, com parceiros que são, muitas vezes, admiradores.

2005: O cd/dvd “Zé Ramalho Ao Vivo” sai das lojas por decisão judicial em caráter liminar, por conta de uma ação movida pela Emi x SonyBmg

2005:Março – grava em São Paulo o CD e DVD “Zé Ramalho ao vivo”, o primeiro ao vivo de sua carreira, com gravação de seus maiores sucessos.

2004: Grava “Sinônimos” em participação especial com Chitãozinho e Xororó, no disco da dupla, “Aqui o sistema é bruto”

2003: A versão de Zé Ramalho ressalta toda a beleza da poesia de Gonzaguinha, pois vem em rítmo ralentado, de propósito, para expor a letra. Primorosa ficou a versão de “Caçador de mim”, de autoria de Sá e Magrão, sucesso nos anos 80. Esta canção recebeu o formato de chanson française, na versão ramalheana.

2003: Zé Ramalho lança “ESTAÇÃO BRASIL”, sua viagem pelo cancioneiro nacional. Neste CD duplo, Zé mostra em 20 canções, suas influências, bem como obras suas, regravadas. A única canção inédita, de sua autoria, é “Nesse Brasil caboclo de mãe preta e pai João”, que abre o disco. Sua homenagem ao Rei do Baião vem numa forma bela e estranha de cantar Asa Branca. O filho do rei, Gonzaguinha, poeta admirado por Zé, é reinterpretado em seu clássico “O que é o que é”.

2003: Os mega sucessos de Tim Maia (‘NÃO QUERO DINHEIRO”) e “MESMO QUE SEJA EU” da dupla Roberto-Erasmo Carlos são conduzidos pelo galope-forró criado pela mente inventiva de Ramalho. Todos os discos de Zé Ramalho têm um tema e um fio condutor, se o ouvinte estiver disposto, vai viajar, sendo assim, o autor costura as estações com sucessos seus, dos anos 70 e 80, desta vez cantados com arranjos até mais belos. São os casos de DESEJO DE MOURO e HINO AMIZADE, por exemplo

 

2002: Lança o CD de músicas inéditas todas de sua autoria, “O Gosto da Criação”
Fonte:biografia do Zé Ramalho

 

Anúncios

Diego Borges fala sobre Jornalismo Online na Fac

DSC01658
Diego Borges, editor do portal online do Diário do Nordeste, dá dicas aos alunos de jornalismo online.

Através da iniciativa do docente Gevan Oliveira, professor da disciplina jornalismo online e com apoio da Fac, Faculdades Cearenses. Recebemos nessa última quarta (09) o palestrante Diego Borges, Editor do Jornalismo Online do Diário do Nordeste.

Durante a palestra, o convidado tirou dúvidas dos alunos e explanou sobre os desafios e as grandes mudanças que a tecnologia trouxe para a nova forma de se trabalhar o jornalismo.

O convidado exaltou a importância das informações que estão na rede hoje ‘O conteúdo online de um veículo de comunicação, sejam eles portais de informações ou as mídias sociais, tem cerca de 70% mais acessos pela população do que os meios tradicionais’, revela Diego.

Dentre os diversos tópicos abordados, ele destaca alguns pontos cruciais para o jornalista que deseja entrar nessa área de atuação. Erros de português, Falta de apuração jornalística e Desinformação das pautas são obstáculos que devem ser vencidos pelos novos profissionais, mesmo sabendo que a vida do jornalismo online é notoriamente uma corrida contra o tempo.

Outro ponto que deve ser levado em consideração, segundo o convidado, é a relevância da pluralidade do jornalista da web, que segundo ele ‘Hoje o profissional tem que sabe operar com as novas tecnologias, ele fotografa, ele faz vídeos, ele planeja as tags. Enfim ele não pode só ficar na redação caçando informações via internet’, ressalta o Editor.

Após a conversa com os alunos de jornalismo da Fac, ficou evidenciado que existe uma integração do jornalismo tradicional e a sua nova forma de extensão com o jornalismo online.